PUBLICIDADE
Topo

Bebê Sofia é filmada consciente e brincalhona pela mãe

Eduardo Schiavoni

Do UOL, em Americana (SP)

13/04/2015 18h26

A bebê Sofia Gonçalves de Lacerda, de um ano e três meses, está consciente e se recuperando da cirurgia de dez horas na qual recebeu o transplante de cinco órgãos. A operação foi realizada na sexta-feira (10) e, de acordo com os médicos, a bebê está prestes a passar ilesa pelo período mais crítico, que é de 72 horas após o procedimento. Sofia foi filmada pela mãe, segunda-feira (13), e aparece consciente e brincalhona.

Segundo Patrícia Lacerda, mãe de Sofia, o vídeo foi feito na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Jackson Memorial Hospital, em Miami, local onde os transplantes foram realizados. “Nossa bonequinha segue se recuperando bem, conforme o esperado. Não está mais sedada e está acordada. Já dançou, ficou de pernas para o ar e agora está assistindo a seus desenhos animados”, disse Patrícia, pela rede social Facebook, em postagem destinada aos apoiadores da causa de Sofia.

Patrícia informou que Sofia já reage a estímulos e reconhece os pais. “Cantei a música da borboletinha, ela sorriu e tentou dançar. Ela também ri quando o pai fala com ela e quando coloco minhas mãos na cabecinha dela. Em breve, esperamos ver nossa filha correndo, sem os fios, totalmente recuperada”, disse em entrevista ao UOL.

Apesar de comemorar a evolução no quadro de saúde da filha, Patrícia disse ainda que ela precisa de cuidados intensos. “Ainda temos muito que enfrentar, é uma montanha russa de sentimentos, mas sempre confiei em Deus e sei que logo tudo estará bem. Logo veremos nossa bonequinha brincando, comendo e livre", afirmou.

Doação

Segundo o médico brasileiro Rodrigo Vianna, que informou, em entrevista exclusiva ao UOL, que se surpreendeu com o estado deteriorado dos órgãos de Sofia, a recuperação dela está sendo mais rápida que o esperado. O médico disse que ela apresenta boa recuperação, mas seguirá internada na UTI. Ainda não há prazo para que ela vá para o quarto.

O profissional ainda esclareceu que os órgãos que podem salvar a vida de Sofia foram doados de um bebê do Estado da Flórida. “Conseguimos chegar onde parecia impossível. Seremos eternamente gratos a família do anjinho doador, que para sempre estará nas nossas orações", disse Patrícia, também pelo Facebook.

O caso

Sofia nasceu em 24 de dezembro e permaneceu internada no Hospital das Clínicas da Unicamp, em Campinas (SP). Lá, recebeu o atendimento e foi confirmada a condição de portadora da doença. Após uma batalha judicial, a família conseguiu transferir a menina, em 23 de março, para o Hospital Samaritano, em Sorocaba, cidade mais próxima de Votorantim, onde moram os pais.

Depois de nova batalha judicial, em 24 de abril, ela foi transferida para o Hospital das Clínicas, em São Paulo, onde fez exames. Em 28 de maio, o desembargador Mário Moraes, do TRF, determinou que a União providenciasse a remoção de Sofia, em um avião adaptado, para os Estados Unidos. Depois disso, Sofia deixou o Hospital das Clínicas de São Paulo e foi transferida para o Hospital Samaritano.

Em 16 de junho, após o não cumprimento da decisão, o advogado da família, Miguel Navarro, chegou a pedir a prisão do ministro da Saúde. Depois de conseguir a vitória na Justiça, embarcou para os Estados Unidos em 3 de julho.

No Brasil, ela já havia passado por três cirurgias desde que nasceu para amenizar o problema, e também foi operada, nos Estados Unidos, para curar um sopro no coração.