AM diz que garrafa PET no lugar de máscara não contribuiu com morte de bebê

Da Agência Brasil

A Secretaria de Saúde do Amazonas informou que vai investigar o uso de garrafas PET no lugar de máscaras de oxigênio em dois bebês recém-nascidos no Hospital de Jutaí. O caso ocorreu na semana passada. Um das crianças morreu.

Em nota, a secretaria disse que não foi acionada pela unidade de saúde para receber as orientações necessárias nem houve solicitação de serviço de remoção aérea.

O órgão entrou em contato com a direção do hospital neste fim de semana e recebeu a informação de que o casal de gêmeos nasceu prematuro, com 7 meses, e que a menina tinha um quadro pulmonar mais debilitado.

A direção do hospital de Jutaí declarou que "a falta da máscara de venturi - que não estava disponível na unidade e que foi substituída pelo material improvisado de garrafa PET - não teria contribuído para o óbito do bebê".

O menino, que foi submetido aos mesmos procedimentos da irmã, já recebeu alta.

Uma equipe da secretaria-adjunta de Atenção Especializada do Interior vai à cidade nesta segunda-feira (1º) para investigar o caso e adotar as medidas cabíveis.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos