China cria "hotéis de câncer" para alojar pacientes pobres em tratamento

Do UOL

Em São Paulo

  • Kim Kyung-Hoon/Reuters

    Mulher que sofre de um câncer cervical e veio do interior da Mongólia come refeição preparada pelo marido em um dos "hotéis de câncer"

    Mulher que sofre de um câncer cervical e veio do interior da Mongólia come refeição preparada pelo marido em um dos "hotéis de câncer"

Uma rede de hotéis de baixo custo foi criada em Pequim para acomodar pacientes pobres com câncer enquanto realizam seus tratamentos na capital chinesa. Trata-se de um conjunto de nove edifícios, todos tirados da ruína e reformados, que oferecem alojamento para quem não pode pagar por um quarto de hospital.

Boa parte dos pacientes acomodados vem de lugares distantes, uma vez que na capital estão os hospitais mais conceituados em cancerologia e também os principais especialistas na área.

Kim Kyung-Hoon/Reuters
Paciente observa sua imagem refletida no espelho em frente seu quarto
"Há um desequilíbrio entre as cidades grandes e pequenas. Bons médicos não querem trabalhar em lugares pequenos", afirmou à agência Reuters um homem que trouxe a mulher de uma cidade distante 750 km para ver um especialista na capital em maio deste ano.

A migração para a capital compensa financeiramente. Uma viagem de trem até Pequim para o casal citado anteriormente custa 321 yuanes (US$ 48), enquanto um quarto em algum dos referidos hotéis sai por 70 yuanes a pernoite para ambos - metade do preço de um quarto em hospital.

Esses "hotéis de câncer", como são chamados, estão localizados nas proximidades de grandes hospitais. Abrigam alguns dos mais de três milhões de pessoas diagnosticadas com a doença na China a cada ano.

Kim Kyung-Hoon/Reuters
Mantimentos em sacos plásticos pertencentes a um paciente junto à janela de quarto
Os custos para os pacientes chineses com doenças graves como câncer ou diabetes são muito elevados. O Estado fornece seguro de saúde para quase toda a população, mas a cobertura é básica.

Segundo a Reuters, dados oficiais indicam que até 44% das famílias na linha de pobreza foram empobrecidas em função de alguma doença.

Muitos pacientes ou familiares, durante o período de tratamento, acabam tendo que se ajeitar em moradias precárias ou mesmo nas ruas. Alguns se fantasiam para pedir dinheiro em vias públicas.

Kim Kyung-Hoon/Reuters
Roupas de cama estendidas em frente aos edifícios-acomodações
"A pior parte para nós é o dinheiro. Nós somos agricultores e já gastamos mais de 270 mil yuanes (em torno de US$ 40 mil) desde 2013", afirmou à Reuters um homem de 60 anos que está hospedado em um dos hotéis enquanto o tratamento da mulher doente é realizado.

Muitos pacientes permanecem de vários meses a um ano hospedados nos "hotéis de câncer".

Kim Kyung-Hoon/Reuters
Marido e mulher conversam no quarto ocupado por ambos durante o tratamento dela

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos