Olhe para trás! Seu cocô diz muito sobre sua saúde

Bia Souza

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Cocô saudável é aquele comprido, em formato cilíndrico, macio e marrom

    Cocô saudável é aquele comprido, em formato cilíndrico, macio e marrom

Você mal levanta do vaso sanitário e já abaixa a tampa para puxar a descarga? Com as mãos ainda molhadas aperta o purificador de ar para disfarçar o cheiro? Todo esse preconceito contra as fezes é cultural e pode atrapalhar sua saúde.

Cor, cheiro, textura, cada aspecto do seu cocô pode indicar doenças que vão de infecções a tumores. Para os especialistas, o primeiro passo é deixar o preconceito de lado.

A observação das fezes traz diversas informações interessantes sobre a saúde do paciente. Se as pessoas olhassem poderiam fornecer dados aos médicos que ajudariam em um diagnóstico mais rápido."

Luciana Lobato, gastroenterologista da Unifesp

Preconceito fora do banheiro

"O que acontece é que existe um grande medo e muita vergonha de se falar sobre o assunto, mas isso deveria ser encarado de forma natural", explica o endoscopista Tomazo Franzini, diretor da Sobed (Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva).

A característica mais marcante é o formato. Em bolinhas, pode indicar falta de fibras e líquidos. Com rachaduras, pode ter ficado muito tempo no intestino. O ideal é que as fezes sejam compridas, em formato cilíndrico e macias.

Não existe uma regra sobre quantas vezes uma pessoa deve evacuar, mas os especialistas consideram que pelo menos três vezes por semana é necessário.

Quando as fezes apresentam rachaduras e endurecimento, significa que estão passando muito tempo no intestino ou que a dieta precisa de mais líquidos e fibras.

Quando o intestino tem alguma obstrução, o cocô se molda de forma mais fina indicando estreitamento. Nesse caso os médicos recomendam uma colonoscopia para checar se há tumores.

"Hoje em dia esse exame é realizado sob sedação e é indolor. Por meio dele é possível verificar pequenos tumores antes que eles avancem", diz Franzini.

Getty Images/iStockphoto

A cor é importante

A coloração também indica reações do organismo: o ideal é que elas tenham a coloração marrom. Fezes pretas podem indicar sangramento em áreas como esôfago, estômago e duodeno --pois o sangue já aparece ali coagulado.

Já as verdes, comuns em caso de diarreia, também podem ser causadas por corantes, consumo de antibióticos e injeção de ferro.

O vermelho nas fezes indica a presença de sangramento e podem sinalizar a presença de doenças como hemorroidas, tumores e diverticulite.

Infecções intestinais, má digestão e alimentação rica em gordura podem amarelar as fezes. Já doenças ligadas ao fígado tendem a dar uma coloração amarelada ou embranquecida.

Getty Images/iStockphoto
Cheiro

"Fezes muito malcheirosas podem denotar sangramento, em geral são pretas e moles. Elas indicam problemas na parte de cima do tubo digestivo", explica Lobato.

Pedaços de comida

Problemas de alimentação também podem provocar outros tipos de alterações nas fezes como a presença de pedaços de comida. Segundo especialistas, isso indica que o trânsito intestinal está acelerado e os nutrientes não estão sendo absorvidos corretamente.

Não precisa ficar histérico e olhar sempre, mas sempre que houver um sintoma digestivo, um emagrecimento inexplicável, algo que está associado ao trato digestivo, visualizar as fezes pode ajudar o diagnóstico"

Luciana Lobato, gastroenterologista

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos