Alimentação

Chás de camomila e alcachofra com insetos vivos são proibidos pela Anvisa

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/Live Fit

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) proibiu a fabricação, comercialização e distribuição de dois tipos de chás da marca Chileno Chás e Ervas.

A restrição é válida para todos os lotes do chá de alcachofra e para o lote 02917 do chá de camomila.

O chá de alcachofra foi proibido por causa do próprio vegetal (Cynara scolymus L.), que, segundo a agência, não é autorizado pela legislação de alimentos para o preparo de chás.

Já o produto à base de camomila apresentou presença de insetos vivos e mortos segundo o Laudo de Análise Fiscal Definitivo emitido pelo Lacen-SC (Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina).

Vale ressaltar que a legislação brasileira tolera a presença não só de pelo de ratos, mas também de pedaços de moscas, baratas, aranhas, formigas, areia, pelo humano, teias e até excrementos animais --desde que estejam dentro do limite estabelecido por lei.

As tolerâncias variam de acordo com o tipo de produto. No caso do chá, são permitidos até 90 fragmentos de insetos em 25g ou cinco insetos inteiros (não considerando os indicativos de risco). Mas, além dos insetos mortos, o lote do chá de camomila da marca Chileno apresentou insetos vivos, que não é permitido.

Segundo a Anvisa, a marca deve recolher o estoque dos produtos existente no mercado.

O UOL entrou em contato com a Chileno, que disse não produzir mais chá de alcachofra e estar ciente da reprovação do chá de camomila, mas não informou o que pretende fazer. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos