PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Coronavírus: Governador anuncia lockdown em 10 cidades do Pará

10.abr.2019 - O governador do Pará, Helder Barbalho -  Marcos Corrêa/PR
10.abr.2019 - O governador do Pará, Helder Barbalho Imagem: Marcos Corrêa/PR

Do UOL, em São Paulo

05/05/2020 18h50

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), decretou hoje o lockdown, o bloqueio total, em 10 cidades do estado, incluindo a capital Belém, para conter o novo coronavírus. As medidas passam a valer na próxima quinta-feira e vão até o domingo da semana seguinte, dia 17 de maio.

Os municípios são: Belém, Ananindeua, Marituba, Benevides, Santa Bárbara do Pará, Santa Izabel do Pará, Castanhal, Santo Antônio do Tauá, Vigia de Nazaré e Breves. As 10 cidades foram escolhidas por terem números de casos positivos da covid-19 acima da média estadual, que é de 51 casos a cada 100 mil habitantes. Esses 10 municípios estão com pelo menos 75 casos a cada 100 mil habitantes.

De acordo com dados divulgados por Barbalho, o estado do Pará tem 375 mortes por covid-19 e 4756 casos confirmados.

"Os esforços não têm sido suficientes, com taxa de isolamento social em torno de 45% e 50%. Isso não tem sido suficiente, com pessoas ficando doentes e vidas sendo perdidas", disse Barbalho.

O governador ainda declarou que só será permitida a saída de um membro de cada família para a aquisição de alimentos, remédios, produtos médicos hospitalares, produtos de limpeza e higiene pessoal. Estarão permitidas saídas para consultas e exames médicos podendo ter acompanhante.

As cidades com o lockdown terão fiscalização nas ruas, com bloqueios e blitz. Além disso, as pessoas que circularem nas ruas deverão usar máscaras. A medida será de forma educativa de quinta-feira a sábado. A partir de domingo, quem infringir as regras poderá ser advertido e multado. As multas diárias vão de R$ 150 para pessoa física e de até R$ 50 mil para pessoa jurídica.

"Estão também inclusos serviços de material de construção, serviço delivery de alimentos, incluindo comidas prontas. Permitido transporte e circulação de carga. Não teremos fechamento de supermercado, farmácia, banco, das atividades essenciais para a vida da população", explicou Barbalho.

"O objetivo central é convencer cada um, mas ao mesmo tempo dizer que chegou o momento drástico de agirmos para salvar a vida da nossa gente. Quero fazer um apelo como cidadão, pai e filho, de coração. Nos ajudem para que nós não tenhamos que agir de maneira ostensiva e que cada um possa se convencer de que este é um esforço fundamental para que logo ali na frente possamos atravessar esse momento e ter o menor número de vidas perdidas e trauma para a nossa população. Por favor, vamos nos proteger. Por favor, fique em casa. Isso é para salvar a vida de quem amamos e do povo paraense", acrescentou.

Coronavírus