PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Coronavírus: Últimas notícias e o que sabemos até esta terça-feira (05)

Do UOL, em São Paulo

05/05/2020 14h00Atualizada em 05/05/2020 23h07

O Brasil registrou neste dia 5 de maio o recorde de mortes confirmadas em 24 horas pelo Ministério da Saúde como provocadas pelo novo coronavírus. Foram 600 novos óbitos registrados, elevando o total de vítimas fatais para 7.921.

Os casos totais no país já chegam a 114,7 mil, sendo 7.921 novos diagnósticos entre hoje e ontem. Os números diários não se referem a mortes ocorridas nas últimas 24 horas, mas confirmadas pelos exames nesse período.

O Ministério da Saúde também anunciou hoje que vai disponibilizar os registros de todos os casos confirmados da covid-19 para auxiliar em pesquisas sobre o coronavírus.

Além disso, o secretário de Vigilância do ministério, Wanderson Oliveira, confirmou em entrevista coletiva que existem pelo menos 100 mil testes com análises pendentes no Brasil. Não é possível ainda saber, segundo o secretário, quantos destes deram positivo para a presença do vírus no organismo dos pacientes testados.

Pará decreta lockdown em dez cidades

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), decretou hoje o lockdown, o bloqueio total, em 10 cidades do estado, incluindo a capital Belém, para conter o novo coronavírus. As medidas passam a valer na próxima quinta-feira e vão até o domingo da semana seguinte, dia 17 de maio.

Os municípios são: Belém, Ananindeua, Marituba, Benevides, Santa Bárbara do Pará, Santa Izabel do Pará, Castanhal, Santo Antônio do Tauá, Vigia de Nazaré e Breves. As 10 cidades foram escolhidas por terem números de casos positivos da covid-19 acima da média estadual, que é de 51 casos a cada 100 mil habitantes. Esses 10 municípios estão com pelo menos 75 casos a cada 100 mil habitantes.

Situação nos hospitais preocupa

Enquanto um estudo indica que o Brasil pode ter 1,6 milhão de casos do novo coronavírus, associações médicas já produziram um protocolo ético e técnico para ajudar os profissionais de saúde sobre os critérios para internação de pacientes com covid-19 em leitos de UTI (Unidades de Terapia Intensiva).

Este é o drama do aumento acelerado no número de casos da covid-19, que, como previsto caso a curva do número de casos não fosse achatada, faz com que cidades pelo país tenham fila de espera por leitos de UTI em hospitais.

Reportagem do UOL mostra que estados como Amazonas, Ceará, Rio de Janeiro e Pernambuco já têm pacientes que precisam aguardar uma vaga para se internar, e o problema disso. No entanto, os números do Ministério da Saúde ainda aparecem com subnotificação.

Ontem, a pasta resolveu fracionar a divulgação dos dados em duas partes, uma à tarde e uma no começo da noite. Subiu para 7.321 o número de mortes pelo novo coronavírus no país, 296 óbitos em 24 horas. São 107.780 casos oficiais, aumento de 6.633 diagnósticos.

O Brasil já registra, em média, 16 mortes por hora.

Protocolo nas UTIs

Para auxiliar os médicos, a Amib (Associação de Medicina Intensiva Brasileira) e a Abramede (Associação Brasileira de Medicina de Emergência) lançaram o "Protocolo de alocação de recursos em esgotamento durante a pandemia por covid-19", com uma tabela de critérios que devem ser observados na tomada de decisão. Elas devem se nortear, basicamente, por três critérios: gravidade, maior grau de sobrevida e capacidade do paciente.

Na primeira versão do documento, lançada no fim de abril, em vez de capacidade funcional, era levado em conta a idade do paciente. Entretanto, uma revisão feita retirou o critério e resultou num relançamento do documento.

O documento diz que deve predominar um consenso de que "o princípio mais sólido é o de priorização de pacientes com melhores chances de benefício e com maiores expectativas de sobrevida".

EM UTIs neonatais, há registros de mães que precisam ter contato com seus bebês de forma virtual, por videochamadas:

Mais de 1,6 milhão de casos

O número de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil pode ter passado de 1,6 milhão, segundo estudo do portal Covid-19 Brasil, criado por profissionais de diversas áreas e instituições, especialmente da USP (Universidade de São Paulo). O número real pode ser bem maior que o oficial: 1.657.752, considerando a subnotificação, de acordo com o levantamento.

Para chegar a esse número, os especialistas aplicaram ao Brasil a mesma taxa de mortalidade da covid-19 observada na Coreia do Sul, onde houve testagem em massa da população e considerado um dos países com o número de casos e mortes notificados mais fiéis à realidade.

O estudo também estima que os jovens são a parcela com o maior número de casos, algo que chama a atenção em comparação com dados de outros países. Apenas as pessoas com idades entre 20 e 39 anos representam 32,3% dos infectados pelo coronavírus.

Teich não procurou hospitais privados

Enquanto o sistema se sobrecarrega, o ministro da Saúde, Nelson Teich, ainda não procurou os principais representantes de hospitais privados e planos de saúde - que poderiam ser alternativas para dar vazão aos atendimentos para o novo coronavírus que já não conseguem ser absorvidos pelo sistema público de saúde.

Teich - Erasmo Salomão/Ministério da Saúde - Erasmo Salomão/Ministério da Saúde
Ministro Teich em visita a Manaus
Imagem: Erasmo Salomão/Ministério da Saúde

A FBH (Federação Brasileira dos Hospitais), que representa 15 associações estaduais que respondem por mais de 4.000 hospitais particulares —parte deles conveniados ao SUS —, afirmou que não houve nenhum contato do ministério, "mesmo diante de um momento tão delicado, em que muitos estabelecimentos da rede pública já apresentam sinais de colapso".

A federação também afirmou que "ainda aguarda uma oportunidade para conversar e levar as pautas do setor" e diz que "não foi atendida, muito menos abriu qualquer tipo de negociação".

Um estudo preliminar estima que a chamada "fila única" para UTIs públicas e privadas evitaria até 14,7 mil mortes pelo novo coronavírus em todo o País. Em São Paulo, onde há a maior quantidade de leitos, o uso de UTIs particulares para atender pacientes do SUS poderia prevenir algo entre 200 e mil mortes. Isso se o nível atual de confinamento, em cerca de 50% da população, permanecer igual.

Agressor de enfermeiras trabalha para o Ministério de Direitos Humanos

Renan da Silva Sena, funcionário terceirizado do MDH (Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos), agrediu verbalmente e cuspiu em enfermeiras que faziam uma manifestação na Praça dos Três Poderes, em Brasília, na última sexta-feira (1º).

Sena é analista de projetos do setor socioeducativo, mas não aparece nem exerce suas atividades no ministério desde meados de março. Ele foi contratado pela empresa G4F Soluções Corporativas Ltda, que tem um contrato com o MDH no valor de R$ 20 milhões de prestação serviços operacionais e apoio administrativo.

Comandada pela ministra Damares Alves, a pasta afirmou, em resposta ao UOL, que pediu à empresa terceirizada a demissão de Sena e que ela teria sido concretizada em 23 de abril. Porém a reportagem pediu e não recebeu a documentação que provasse o ato demissionário. Verificou-se também que o email funcional dele continuava ativo até o dia de ontem. O MPF abriu investigação.

250 mil mortes no mundo

O número global de mortes causadas pela covid-19, a doença decorrente do novo coronavírus, já ultrapassou a marca de 250 mil — são 251.059 óbitos. A informação leva em conta os dados compilados e publicados na noite de ontem pela Universidade Johns Hopkins.

Ao todo, mais de 3,5 milhões de pessoas já foram diagnosticadas com a covid-19. A maioria ocorreu nos Estados Unidos (quase 1,2 milhão), mas o continente mais afetado é a Europa (1,5 milhão).

O Reino Unido ultrapassou a Itália e agora registra, entre os europeus, o maior número oficial de mortes em decorrência do coronavírus, com 32.313 óbitos. O último boletim italiano registrou 29.079 mortes no país.

Exclusivo: AM gastou R$ 472 mil a mais por respiradores de loja de vinhos

O governo do Amazonas tinha uma proposta R$ 472 mil mais vantajosa pelos mesmos respiradores que comprou sem licitação a preços acima do mercado de uma loja de vinhos. A compra superfaturada foi revelada pelo UOL no dia 20 de abril. Os respiradores são um equipamento essencial no tratamento de pacientes com covid-19.

Wilson Lima (PSC), governador do Amazonas - Reprodução - 23.abr.2019/Facebook/WilsonLimaAM - Reprodução - 23.abr.2019/Facebook/WilsonLimaAM
Wilson Lima (PSC), governador do Amazonas
Imagem: Reprodução - 23.abr.2019/Facebook/WilsonLimaAM

No dia 8 de abril, a Susam (Secretaria de Saúde) emitiu uma nota fiscal em que adquire 28 respiradores mecânicos: 24 do modelo Stellar 150, da marca Resmed, por R$ 104,4 mil cada um, e outros quatro aparelhos da marca Philips comprados na mesma adega por R$ 117,6 mil cada um, em um total de R$ 2.976.000.

Apesar do desembolso aprovado pelo governo, a Susam tinha uma proposta mais vantajosa, mas preferiu comprar os respiradores na Vineria Adega, conhecida como ponto de encontros de políticos e empresários de Manaus.

Se tivesse optado pela proposta mais vantajosa, o governo teria economizado R$ 32 mil no valor total do contrato e recebido cinco respiradores a mais, o equivalente a R$ 440 mil.

Maranhão inicia lockdown e Dino vê boa adesão

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PcdoB), vê uma "boa adesão" ao lockdown, as medidas restritivas adotadas na capital São Luís, iniciadas hoje, para controlar a disseminação do novo coronavírus.

lockdown - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
Bloqueio em São Luís
Imagem: Reprodução/Twitter

A Justiça determinou na última semana o lockdown, uma medida mais rígida de bloqueio com aplicação de punições a quem desrespeitar a orientação.

"Boa adesão da população às medidas preventivas adicionais que implantamos hoje na Ilha de São Luís. São 50 pontos de fiscalização e controle. No final do dia teremos uma avaliação mais precisa. Vale a pena o esforço, para que possamos voltar ao normal o quanto antes", escreveu.

RJ estuda lockdown em locais mais preocupantes

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, discute internamente decretar lockdown no estado, como forma de manter pessoas em casa e atividades não essenciais paradas e, assim, reduzir a propagação do coronavírus. Um comitê que assessora o governo fluminense aconselha este direcionamento e um médico que o integra, o ex-ministro José Gomes Temporão, afirmou que a decisão precisa ser tomada "para ontem". As informações são do jornal O Globo.

"O conselho fez por bem recomendar o fechamento tampão por um período. Não falamos em prazo, que vai depender muito da adesão e da capacidade real de se reduzir a circulação viral", afirmou o médico, que defende lockdown só em partes do estado em situação delicada. "Você só pode sair quando novos casos e óbitos caírem. Ainda estamos no começo da subida da curva."

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro informou ontem que há 11.721 casos confirmados e 1.065 mortes por coronavírus no estado. O governo informou ainda que 356 óbitos em investigação e 150 foram descartados. Até o momento, entre os casos confirmados, 6.284 pacientes se recuperaram da doença. Houve alta de 64% das mortes com o isolamento mais frouxo visto no estado.

São Paulo: Bairros com favelas e cortiços concentram mais mortes

Bairros onde há favelas, cortiços e conjuntos habitacionais são onde há mais mortes registradas em decorrência do coronavírus na cidade de São Paulo, mostram dados divulgados pela Prefeitura ontem.

Em geral, essas localidades estão fora do centro expandido e na periferia da cidade. Por exemplo, Sapopemba, na zona leste, tem concentração desse tipo de moradia e registrou 101 óbitos, número mais de dez vezes maior do que o verificado em bairros centrais como Sé (8 mortes) e Barra funda (6).

Além disso, dados do boletim epidemiológico da Prefeitura de São Paulo do dia 30 de abril apontam que o risco de morte de negros por covid-19 é 62% maior em relação aos brancos. No caso dos pardos, esse risco é 23% maior. Especialistas apontam que questões socioeconômicas, como saneamento básico precário, insegurança alimentar e dificuldade de acesso à assistência médica, aumentam o risco de adoecer e morrer.

A prefeitura de São Paulo negocia acordos com hospitais particulares para usar até 800 leitos de UTI da rede privada, menos procurados nesta fase da covid-19. Já o sistema público segue pressionado, com 82% de ocupação nos leitos de UTI (Unidades de Terapia Intensiva) da rede municipal ocupados e 88% de leitos de UTI ocupados na estadual.

Para David Uip, o sistema de saúde de São Paulo terá problemas num prazo não superior a um mês para tratar pacientes com coronavírus, caso a média de isolamento social no Estado siga abaixo de 50%.

Com trânsito na capital paulista devido aos bloqueios de trânsito para alertar para o isolamento social, até ambulância teve dificuldades de circular:

Ceará: covid cresce, e estado adota máscaras e mais isolamento

O uso de máscaras será obrigatório em todo o estado do Ceará a partir de amanhã. O anúncio, visando brecar a pandemia do novo coronavírus, foi feito hoje pelo governo do estadual, que renovou as medidas de isolamento social até 20 de maio. A medida é tomada depois de o Ceará ter visto o número de casos subir cerca de 32% em 24 horas, chegando a 11.040 casos. O estado acumula 712 mortes. O Ceará é o terceiro estado em número de casos e mortes no país.

EUA: crianças são internadas com síndrome misteriosa

Quinze crianças foram hospitalizadas em Nova York com uma síndrome misteriosa, que ainda não foi entendida pelos médicos norte-americanos. Várias delas já haviam sido diagnosticadas com o novo coronavírus, mas os desdobramentos do observado agora ligaram o sinal de alerta nas autoridades locais, em movimento semelhante ao visto na Europa - o Reino Unido registrou mortes há cerca de uma semana em um cenário semelhante; Itália, Espanha e mais países também notificaram casos.

De acordo com o The New York Times, o departamento de saúde da cidade registrou que crianças e adolescentes de 2 a 15 anos mostraram sinais de síndrome tóxica de choque ou da doença de Kawasaki, mal raro em crianças que envolve inflamação dos vasos sanguíneos, incluindo artérias coronárias.

Não há mortes entre os casos registrados pelas autoridades de NY.

Os Estados Unidos registraram 1.015 mortes por coronavírus em 24 horas, o menor número diário em um mês, segundo contagem divulgada hoje pela Universidade Johns Hopkins. O levantamento de 24h eleva para 68.689 o número de mortos pela epidemia da covid-19 no país.

Médica do HC é destaque na Science

Em sua última edição, a revista semanal norte-americana Science, considerada uma das mais importantes publicações científicas do mundo, deu destaque a um artigo que aborda a evolução do tratamento da covid-19 com heparina —um anticoagulante indicado para reversão da trombose. Estudos conduzidos por médicos de diversos países do mundo vêm comprovando a eficácia do medicamento na redução dos tempos de intubação e internação em casos graves.

Elnara - Reprodução/ Hospital Sírio-Libanês - Reprodução/ Hospital Sírio-Libanês
Imagem: Reprodução/ Hospital Sírio-Libanês

A primeira a observar isso no Brasil foi a pneumologista paulista Elnara Marcia Negri, do Hospital Sirio Libanês e da USP (Universidade de São Paulo). À Science, Elnara explicou que em casos graves de covid-19 o maior problema não está no pulmão propriamente dito, mas na coagulação dessa rede sanguínea fina. "A evasão em cascata de proteínas do sangue leva à coagulação, o que impede a oxigenação adequada", diz.

Ao UOL, Elnara contou que está ministrando anticoagulante em todos os pacientes graves que atende. Até o momento, foram 60. "Sete ainda estão na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), o restante foi para a enfermaria ou recebeu alta." Ela fala basicamente dos hospitais Sirio Libanês e 9 de Julho. "Estamos divulgando ao máximo nossa experiência e observações na rede pública.

"Segundo ela, o protocolo ainda não é aplicado em todos os hospitais, "porque nem todos os colegas acreditam no tratamento". "Eles querem tudo baseado em evidências com estudos randomizados. Acontece que nós estamos no meio da guerra, e por isso nesse caso, a nosso ver, a observação clínica associada aos dados de autópsia deve ser levada em consideração."

Até que se prove a eficácia de um tratamento, ela explica, devem-se proceder testes com 300 pessoas — dois grupos de 150, cada. "Metade recebe a heparina, metade, não. Breve teremos esses resultados", diz.

Viral: 'Fique em casa ou venha dançar com a gente'

Carregadores de caixão dançarinos que viraram meme internacional fizeram uma homenagem aos médicos que atuam na linha de frente contra o coronavírus.

Em um vídeo publicado na conta do Twitter de Benjamin Aidoo, criador da "dança do caixão" e dono de uma funerária em Gana, o grupo está vestido de branco, usando máscaras, e bate palmas para os profissionais da saúde.

Ovelhas invadem cidade

Com a população confinada em suas casas por causa da quarentena imposta para frear o avanço do coronavírus, centenas de ovelhas aproveitaram as ruas vazias para dar um "passeio" em Samsun, na Turquia.

Coronavírus