PUBLICIDADE
Topo

Estudo aponta Brasil como novo epicentro global do coronavírus

Desinfecção do Terminal de ônibus anexo à estação do Metro do Tatuapé, Zona Leste de São Paulo - PAULO GUERETA/ESTADÃO CONTEÚDO
Desinfecção do Terminal de ônibus anexo à estação do Metro do Tatuapé, Zona Leste de São Paulo Imagem: PAULO GUERETA/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

05/05/2020 22h27Atualizada em 06/05/2020 16h28

Diante de casos subnotificados de covid-19, o total de infectados por coronavírus no Brasil, até ontem, poderia ser de 1.657.752, segundo um estudo publicado pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP (Universidade de São Paulo).

O número prevê uma variação de casos para mais ou para menos, considerando 1.345.034 casos no melhor cenário e 2.021.177 no pior. Os valores são muito além dos 114.715 casos oficiais divulgados hoje pelo Ministério da Saúde.

Em entrevista ao Wall Street Journal, Domingos Alves, um dos pesquisadores envolvidos no estudo, disse que os números apontam o Brasil como "epicentro global do coronavírus". Atualmente, os Estados Unidos são considerados o epicentro mundial, com 1.171.510 casos oficiais confirmados até esta tarde, segundo o CDC (Centro para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA).

A estimativa brasileira é feita a partir da taxa de letalidade da covid-19 na Coreia do Sul, país que está testando a população em massa — diferentemente do Brasil, que vêm aplicando testes apenas em casos graves.

Usando o índice sul-coreano como base, o estudo adaptou a taxa de letalidade e a redistribuiu pelas faixas etárias brasileiras, chegando a 1,11% da taxa esperada.

"A taxa de Letalidade dos Casos ajustada representa uma taxa de letalidade mais real ajustando o cálculo da taxa pelo tempo médio entre a confirmação do caso e o óbito, de 10 dias", diz um trecho da pesquisa.

A análise pode ser conferida por completo através deste link. Já a metodologia do estudo pode ser consultada aqui.

Coronavírus