PUBLICIDADE
Topo

Valdemiro Santiago vende semente a R$ 1 mil prometendo falsa cura da covid

O pastor Valdemiro Santiago em vídeo no YouTube - Reprodução/ YouTube
O pastor Valdemiro Santiago em vídeo no YouTube Imagem: Reprodução/ YouTube

Do UOL, em São Paulo

07/05/2020 10h20Atualizada em 07/05/2020 16h44

O pastor Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, promete uma falsa cura ao coronavírus em um vídeo em que vende sementes aos seus seguidores. No vídeo, publicado no YouTube, ele fala do suposto benefício de uma planta e pede o "propósito de R$ 1 mil" por ela.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, ainda não existe nenhuma cura ou vacina que proteja ou possa ser utilizada como remédio para a covid-19. A Anvisa também informou que não há remédio aprovado para a doença no momento, e que propagandear falsas curas pode ser passível de punição (leia abaixo).

No vídeo, ele mostra suposto exame que comprovaria que uma pessoa teria se curado da covid-19 após utilizar a semente - ele não diz de que planta específica é. Segundo ele, após o plantio, aparece escrito na semente "sê tu uma bênção".

No vídeo ele fala de "gente curada de estado terminal, gravíssimo. E tá ali o exame, para quem quiser. (...) Você vê como a semente é semeadora. E aí sim conseguiu vencer a crise e a epidemia. Só tem um jeito de se vencer essas fases difíceis. É semeando, e semeando na obra de Deus. Essa semente é interessante, você planta... É a semente 'sê tu uma bênção'. Você vai semear essa semente e na planta que nascer vai estar escrito 'Sê tu uma benção'."

No próprio vídeo ele fala sobre críticas ao método. "Mas isso é enganar? Você que tá enganado", diz ele, antes de anunciar o preço das sementes - elas estão à venda no site oficial da Igreja Mundial.

"Vou fazer o propósito de R$ 1 mil para cada um. E muitos que estão me assistindo também vão fazer de R$ mil. Outros vão fazer de R$ 500. De acordo com sua semeadeira", afirma ele.

O UOL procurou o pastor para pedir provas da eficácia da solução proposta por ele, mas não conseguiu contato.

Anvisa: não há medicamentos aprovados no Brasil

Consultada pela UOL, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) afirma que "tratamentos considerados eficazes pela Anvisa são aqueles que a Agência autoriza depois de avaliar os estudos e pesquisas realizados em torno do produto" e que "no Brasil, até o momento, não há medicamento aprovado para o tratamento da covid-19".

A agência ainda informou que "diferentes medicamentos têm sido pesquisados (...), mas até o momento os resultados não são conclusivos."

A Anvisa ainda alerta que "o Código Penal traz em seu artigo 273 a previsão de penas para o ato de Falsificar, corromper, adulterar ou alterar produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais".

Confira o vídeo do pastor na íntegra:

No último dia 24 de abril, indo na contramão das recomendações da OMS, a igreja anunciou a reabertura aos fiéis, por meio de reserva de horários online.

"Por conta do COVID-19, exigimos algumas normas para os fiéis, evitando o máximo para que não ocorra a transmissão. O uso de máscaras é obrigatório e uso álcool em gel. Pedimos que mantenha distância de 1,5m", diz comunicado no site da Mundial.

Coronavírus