PUBLICIDADE
Topo

Veja como shoppings e lojas vão funcionar na capital de SP após reabertura

Lojistas precisam oferecer álcool em gel para funcionários e compradores, principalmente na entrada e em locais de pagamento - Leandro Ferreira/Fotoarena/Estadão Conteúdo
Lojistas precisam oferecer álcool em gel para funcionários e compradores, principalmente na entrada e em locais de pagamento Imagem: Leandro Ferreira/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

27/05/2020 22h30

O governo João Doria (PSDB) divulgou hoje um plano de reabertura das atividades no estado de São Paulo. A partir de segunda-feira (1º), as pessoas poderão voltar a frequentar escritórios, shoppings, comércios, concessionárias de veículos e imobiliárias.

Isso não significa que esses setores estarão funcionando a todo vapor já na semana que vem. O prefeito da capital, Bruno Covas (PSDB), antecipou que nada abrirá de uma vez na segunda-feira e que submeterá propostas de cada atividade à vigilância epidemiológica municipal.

Covas deve apresentar amanhã (28) as regras para cada setor. O governo Doria determinou que cada município tenha autonomia para tocar a própria reabertura, seguindo definições técnicas e científicas.

Comércios e shoppings

O governo estadual recomenda que comércios controlem o acesso às lojas e o fluxo de pessoas e limitem a permanência de clientes a 35% da capacidade do estabelecimento. Lojistas não devem promover liquidações ou campanhas que causem aglomerações. Também precisam oferecer álcool em gel para funcionários e compradores, principalmente na entrada e em locais de pagamento.

Shoppings devem restringir abertura de cinemas, operações de entretenimento e atividades para crianças. Também foram recomendados a fixar comunicados de prevenção à covid-19 em escadas rolantes, elevadores, cancelas de estacionamento e em demais áreas.

O UOL apurou que o uso de máscara será recomendado a todos os funcionários e clientes e que haverá um sistema de distanciamento também nos estacionamentos, que terão capacidade reduzida.

Concessionárias

Lojas de veículos foram orientadas a fornecer máscaras a todos os funcionários e clientes, além de disponibilizar álcool em gel. Também devem higienizar os veículos a cada test drive e controlar a entrada aos showrooms, para evitar aglomerações.

Escritórios

O governo Doria não divulgou protocolos específicos para escritórios. No caso de atividades de telemarketing no setor de tecnologia e telecomunicações, a gestão estadual sugere a manutenção do trabalho remoto e, caso seja necessário voltar ao escritório, cada funcionário deve sempre utilizar máscaras e respeitar distância mínima de 1,5 metro para os colegas.

Imobiliárias

Imobiliárias podem agendar visitas a imóveis apenas para uma família por vez, respeitando o distanciamento e sempre com máscaras de proteção.

Outros serviços

Atividades que já estavam na lista de serviços essenciais — pet shops, dentistas e locadoras de veículos — continuam funcionando, além da indústria e da construção civil.

A corrida no parque e na esteira da academia de ginástica ainda vai precisar esperar as próximas fases da retomada. Por ora, espaços públicos e academias continuam fechados na capital, assim como os teatros e cinemas.

Região metropolitana e outras cidades

A capital e a Grande São Paulo estão em momentos diferentes da pandemia do coronavírus, na avaliação do governo Doria.

A capital está em fase de atenção, o que possibilita iniciar o relaxamento da quarentena. Já a Região Metropolitana está no que a gestão classificou como fase de contaminação e, por isso, só serviços essenciais podem funcionar — ou seja, a situação fica como está.

A cada sete dias as regiões serão reclassificadas e podem mudar de fase, com mais abertura ou mais restrições, dependendo do cenário da covid-19.

As regiões de Barretos, Presidente Prudente, Bauru e Araraquara/São Carlos terão liberação maior de atividades, mas não completa. Nenhuma região no estado foi incluída nas chamadas fases 4 e 5 — de menores restrições e liberação de todas as atividades com protocolos.

A situação dos transportes e da educação, sobretudo a reabertura das escolas, será definida posteriormente.

As fases e o enquadramento das regiões administrativas

Fase 1 - liberação apenas de serviços essenciais, como está agora

  • Regiões: Baixada Santista, Registro (Vale do Ribeira) e Grande São Paulo (sem contar a capital). Abertos somente os serviços essenciais.

Fase 2 - momento de atenção da pandemia com liberações eventuais

  • Regiões: cidade de São Paulo, São José do Rio Preto, Araçatuba, Taubaté, Campinas, Marília, Sorocaba, Piracicaba, São João da Boa Vista, Ribeirão Preto e Franca. Aberto com restrições: atividades imobiliárias, concessionárias de veículos, escritórios, comércio e shoppings.

Fase 3 - momento controlado da pandemia com maior liberação de atividades

  • Regiões: Barretos, Presidente Prudente, Bauru e Araraquara/São Carlos. Aberto com restrições: bares e restaurantes, comércio, shopping e salões de beleza. Aberto sem restrições: atividades imobiliárias, concessionárias de veículos e escritórios.

Fase 4 - momento decrescente da pandemia com menores restrições

  • Regiões: nenhuma. Aberto com restrições: bares e restaurantes, comércio, shopping, salões de beleza e academias. Aberto sem restrições: atividades imobiliárias, concessionárias de veículos e escritórios.

Fase 5 - momento de controle da pandemia e liberação de todas as atividades com protocolos

  • Regiões: nenhuma. As atividades podem ser retomadas.

Coronavírus