PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Com 6.830 mortes em 7 dias, Brasil tem a semana com mais óbitos até agora

Coveiros vestindo roupas de proteção carregam o caixão de Andre Wendel, que morreu da doença de coronavírus (COVID-19), no cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro - PILAR OLIVARES/REUTERS
Coveiros vestindo roupas de proteção carregam o caixão de Andre Wendel, que morreu da doença de coronavírus (COVID-19), no cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro Imagem: PILAR OLIVARES/REUTERS

Carolina Marins

Do UOL, em São Paulo

29/05/2020 21h34

O Brasil teve a semana com o maior número de óbitos reportados por dia em decorrência da covid-19. No total, foram notificadas 6.830 mortes por coronavírus nos últimos sete dias, entre 23 e 29 de maio. Esta também foi a semana em que o país teve seu número de óbitos acima de mil por quatro dias consecutivos.

Segundo boletim de hoje do Ministério da Saúde, foram 1.124 mortes registradas nas últimas 24 horas. O recorde ocorreu na semana passada, quando o país teve, em um único dia, a notificação de 1.188 óbitos por covid-19.

Estes foram os números dos últimos sete dias:

  • 29 de maio: 1.124 mortes
  • 28 de maio: 1.156 mortes
  • 27 de maio: 1.086 mortes
  • 26 de maio: 1.039 mortes
  • 25 de maio: 807 mortes
  • 24 de maio: 653 mortes
  • 23 de maio: 965 mortes

Nos finais de semana, têm sido reportados os menores números de mortos e também de contaminados. Segundo o próprio Ministério da Saúde, o motivo é a redução da equipe aos sábados e domingos, o que impacta na contagem.

Com o número de hoje, o Brasil acumula 27.878 mortes no total, ultrapassando a Espanha e se tornando o quinto país em número de óbitos, segundo ranking da Universidade Johns Hopkins.

O Brasil também ultrapassou, nos últimos dois dias, os seus maiores números de diagnósticos confirmados da doença diariamente. Hoje foram 26.928 novos diagnósticos nas últimas 24 horas, totalizando 465.166 casos confirmados de covid-19. Este foi o maior registro em um dia. O último recorde havia sido ontem, quando foram notificados 26.417 casos.

Ainda em relação ao diagnóstico da doença, o país é o segundo — os Estados Unidos têm cerca de 1,72 milhão de casos e mais de 101 mil óbitos, de acordo com o CDC (Centro para Controle e Prevenção de Doenças).

Subnotificação

Há uma enorme subnotificação dos casos e mortes em todo o país, o que mascara a realidade da doença. Um sinal disso é o fato de que os 1.124 mortos reportados hoje não necessariamente são de pessoas que morreram nas últimas 24 horas. Na realidade, segundo o ministério, apenas 331 desses óbitos ocorreram nos últimos três dias. O restante ocorreu ao longo das outras semanas.

De acordo com cálculos feitos pelo UOL, uma morte pode demorar até 16 dias para aparecer no sistema do Ministério da Saúde. A própria pasta já admitiu que a demora pode chegar, inclusive, a dois meses

Segundo o infectologista especializado pelo hospital Emílio Ribas, Natanael Adiwardana, o aumento no processamento de testes para covid-19 pode explicar a explosão de casos e mortes nas últimas semanas.

"Temos que levar em consideração que o aumento no número de laboratórios credenciados para fazer o processamento dos PCRs [exames PT-PCR, que identificam a presença do vírus] influencia também no aumento do número de casos reportados", diz.

"Por um lado, é bom, porque temos uma noção maior do que realmente está acontecendo. Por outro lado, é péssimo, porque realmente temos percebido que os casos continuam aumentando, por mais que seja consequência do aumento do número de testes", acrescenta Adiwardana.

Estados flexibilizam quarentena

Apesar do número crescente de casos e mortes por covid-19, diversos estados brasileiros se preparam para uma reabertura gradual.

São Paulo, o estado com maior número de casos e mortes, apresentou hoje seu plano de flexibilização da quarentena que deve começar na próxima segunda-feira. As regiões do estado foram divididas em fases para reabertura, e critérios foram estabelecidos para o processo. Hoje, o estado registrou 101.556 casos confirmados e 7.275 óbitos por coronavírus no total.

O governo do Pará também apresentou hoje um plano de reabertura para ter início na segunda-feira. Foram definidas zonas que poderão ou não reabrir e os critérios para a classificação. Em quinto lugar em casos no país, o Pará tem 36.486 diagnósticos de covid-19 confirmados e 2.827 mortos.

O Ceará, quarto em número de casos, anunciou ontem que vai testar um plano de abertura. O estado tem 38.395 diagnósticos confirmados e é o 3º em mortes, com 2.859.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que constava no título desta matéria e na manchete do site, não foram 6.821 mortes nos últimos sete dias. O total foi 6.830 óbitos. No dia 23, foram 965 mortes, e não 956. As informações foram corrigidas.

Coronavírus