PUBLICIDADE
Topo

Belém: shoppings e salões de beleza reabrem no sábado, anuncia prefeitura

31.mai.2020 - Em Belém (PA), manifestantes pedem fim das medidas de isolamento social, fundamentais para conter o avanço do coronavírus - Raimundo Paccó/Framephoto/Estadão Conteúdo
31.mai.2020 - Em Belém (PA), manifestantes pedem fim das medidas de isolamento social, fundamentais para conter o avanço do coronavírus Imagem: Raimundo Paccó/Framephoto/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

04/06/2020 20h24

O prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, divulgou hoje nas redes sociais que shoppings centers e salões de beleza reabrirão no sábado (6).

Os estabelecimentos deverão funcionar em horários diferenciados e seguir protocolos e higienização no combate à pandemia do coronavírus. A expectativa é que o decreto seja publicado ainda hoje no Diário Oficial.

Os shoppings poderão abrir das 12h às 20h, e os salões de beleza, das 9h às 20h. A decisão foi tomada, segundo o prefeito, após reunião com Comitê Intersetorial de Retorno das Atividades.

Apenas as lojas poderão funcionar nos shoppings — ou seja, cinemas, praças de alimentação e parques infantis seguem proibidos por tempo indeterminado.

Ontem, o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), fez um apelo nas redes sociais após o isolamento social na capital Belém cair na terça-feira (2) para o nível alarmante de 39%, justamente no primeiro dia de retorno gradual das atividades econômicas em 47 municípios.

"Pessoal, ontem o isolamento social em Belém caiu para o nível alarmante de 39%. Nossa capital, que já liderou este ranking, ocupou a 18° colocação nacional entre os estados nesta terça-feira", apontou Barbalho.

Barbalho defendeu que, quando iniciou o processo de abertura gradual, deixou claro que "não poderia ser entendido como um libera geral". O governador, por fim, pediu para que o relaxamento seja feito em um processo planejado.

O retorno das atividades econômicas foi intenso no primeiro dia de reabertura. A movimentação, principalmente na capital paraense, chegou próximo à normalidade, quando a cidade não estava ameaçada com a pandemia do novo coronavírus.

Nos pontos de ônibus e no centro comercial, muita aglomeração e desrespeito aos protocolos de distanciamento social e sanitários, estabelecidos em decreto estadual e municipal, que preveem a retomada gradual da economia e da prestação de serviços.

A volta ao trabalho levou muitos paraenses às ruas e a movimentação foi alta tanto nos bairros nobres quanto na periferia, com a reabertura de 2.500 estabelecimentos comerciais que estavam fechados desde o dia 7 de maio.

As ruas do centro ficaram lotadas de famílias que foram às compras, de pessoas que procuravam bancos, de comerciantes e lojistas.

Coronavírus