Topo

Coronavírus: Últimas notícias e o que sabemos até esta quinta-feira (25)

Imagem: iStock

Do UOL, em São Paulo

25/06/2020 13h02Atualizada em 25/06/2020 22h08

O Brasil ultrapassou hoje a marca de 55 mil mortes provocadas pela covid-19 desde o início da pandemia, revelaram dados do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte. Foram 1.180 registros de óbitos nas últimas 24 horas, levando o acumulado para 55.054.

Desse total, praticamente 25% das vítimas fatais foram registradas no estado de São Paulo. O país teve ainda, segundo o consórcio, mais 40.673 notificações de contaminação pelo coronavírus de ontem para hoje. O total chega a 1.233.147.

Pelo terceiro dia consecutivo, o Ministério da Saúde registrou mais de 1,1 mil mortes causadas pelo coronavírus em um período de 24 horas no Brasil. De acordo com o boletim, divulgado hoje pelo governo federal, foram 1.141 novos óbitos, elevando o total acumulado desde o início da pandemia a 54.971 vidas perdidas.

Ainda segundo o ministério, os números de hoje mostraram 39.483 novos casos de covid-19 em todo o país. Com esse acréscimo, o total de diagnósticos no país subiu para 1.228.114 pacientes. Desse total, 673 mil já são considerados como recuperados, enquanto outros 499 mil estão em acompanhamento.

Mês de maio bateu recorde de mortes na história do Brasil

Maio de 2020 já é o mês com o maior número de registros de óbitos feitos por cartórios na história do Brasil. Mais um efeito da pandemia do novo coronavírus no país. Foram notificados 123.861 óbitos no mês, sendo 24.111 deles por covid-19. No final de maio, o país se tornou o segundo com o maior número de casos em todo o mundo, atrás apenas dos Estados Unidos.

Em meio à alta no número de casos, o estado com mais casos e mortes em todo o país, São Paulo, se prepara para avançar na reabertura. A Prefeitura da capital deve anunciar ainda esta semana avanço da cidade da fase laranja (controle) para a fase amarela (flexibilização) no Plano São Paulo, o que permitiria a volta de bares e restaurantes, um dos setores mais afetados pela pandemia. Hoje, o governo de São Paulo confirmou 13.759 mortes e 248.587 casos de coronavírus.

Remdesivir: EMA libera uso na UE; Brasil fará testes

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) autorizou o uso e a venda do antiviral remdesivir para o tratamento de casos graves da covid-19 na União Europeia (UE). A comercialização do medicamento nessa condição já foi autorizada em países como Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul. É o primeiro medicamento recomendado por uma autoridade de saúde do bloco para o tratamento da doença.

No Brasil, a Anvisa autorizou ontem a realização de estudos clínicos com o antiviral. De acordo com o órgão, o estudo será de fase 3 (quando há observação de pacientes que usaram o medicamento) e irá ser aplicado em indivíduos hospitalizados com pneumonia grave provocada pela covid-19.

MG troca coordenador de leitos

O governo de Minas Gerais substituiu o coordenador de leitos de UTI do SUS no estado. A troca foi classificada como "natural e necessária para adequações neste momento de enfrentamento à pandemia de coronavírus". A taxa de ocupação de leitos da rede SUS na região é de 90,6%.

Ontem, ao explicar as medidas do governo contra a pandemia, o secretário estadual de Saúde, Carlos Eduardo, disse que, no momento, seria "imprudente" abrir o hospital de campanha montado em Belo Horizonte para receber pacientes com covid-19. Para ele, ainda "não há necessidade".

Rio de Janeiro recua na volta às aulas

Após o plano frustrado de volta às aulas nas escolas municipais para o próximo dia 3, a prefeitura do Rio de Janeiro recuou e não tem mais data para retomar as atividades em suas mais de 1,5 mil unidades de ensino. A medida foi decidida após o número de casos e mortes de coronavírus não estabilizar na cidade.

Áreas planejam retorno de voos internacionais no país

Companhias aéreas de diversos países já planejam o retorno de suas operações no Brasil. Muitos voos começam a ser feitos já em julho. Empresas que diminuíram suas operações no país também já planejam o aumento das frequências de voos. Entre as companhas estão AirFrance, TAP, Delta, American Airlines, Lufthansa e outras.

Nenê com covid-19; times de SP pedem volta em agosto

O atacante Nenê, do Fluminense, foi diagnosticado com a covid-19 e desfalca o time no retorno do Campeonato Carioca no domingo, contra o Volta Redonda. O jogador de 38 anos está afastado do elenco e isolado seguindo recomendações médicas. O clube é um dos que protesta contra a retomada dos jogos.

Imagem: Thiago Ribeiro/Agif

Em São Paulo, os quatro clubes grandes estão sincronizados na preparação para o retorno aos gramados. Segundo apurou o UOL Esporte, além de manterem uma agenda similar para exames médicos e testes físicos, Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo defendem a mesma ideia: retomar o Paulistão em agosto, um mês após o início dos treinamentos.

O retorno agora também não é bem visto pelo técnico Rogério Ceni. Para o técnico do Fortaleza, o esporte "não é essencial" e que nem todos os clubes já estão preparados para voltar em meio à pandemia.

Apelo ao governo federal e novas restrições

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB-ES), fez um apelo hoje por uma coordenação mais integrada e centralizada do governo federal junto aos estados e municípios no combate à pandemia. Representando o Consórcio de Integração Sul e Sudeste, Casagrande foi ouvido em reunião da comissão mista que acompanha as ações do governo federal no enfrentamento da covid-19.

Para ele, a "falta de coordenação nacional, a troca de ministros, a politização de medicamentos e do isolamento, e o enfrentamento provocado pelo presidente da República acabaram dificultando um pouco nosso trabalho".

Em Blumenau (SC), a 157 km de Florianópolis, a Prefeitura proibirá que idosos utilizem o sistema de transporte público a partir de amanhã. Das seis mortes por covid-19 na cidade, cinco foram de pessoas com 65 anos ou mais. Além disso, o acesso aos supermercados será limitado a uma pessoa de cada família.

A cidade ficou marcada na pandemia depois que a abertura de um shopping levou uma multidão ao local. No início do mês a cidade registrava 799 casos do vírus. Ontem, o número de infectados chegou a 1.723 - um aumento de 115%.

EUA: Trump encerra apoio a centros de testes

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que encerrará o apoio financeiro a 13 locais de testagem de covid-19. Segundo o secretário-adjunto de Saúde, almirante Brett Giroir, a medida afeta cinco estados (Illinois, Nova Jersey, Colorado, Pensilvânia e Texas) e não significa o fim dos destes, mas uma "transição" para outras opções de testagem.

As novas infecções por coronavírus nos Estados Unidos atingiram uma taxa diária recorde ontem, com mais de 35.900 infecções registradas em 24 horas, segundo uma contagem da Universidade Johns Hopkins.

O governador de Nova York, Andrew Cuomo, disse que o estado alcançou a menor taxa de hospitalização desde o início da pandemia, enquanto a Califórnia registrou uma alta de 69% no número de casos confirmados em dois dias. O condado de Los Angeles passa a ser o local no país com o maior número de infectados — mais de 88.500.

Torre Eiffel, em Paris, reabre ao público

A Torre Eiffel, um dos principais monumentos de Paris, foi reaberta hoje parcialmente aos visitantes Imagem: François Pauletto/Anadolu Agency via Getty Images

Um dos cartões postais mais famosos de Paris, a Torre Eiffel reabriu hoje para visitantes. O retorno tem atrações reduzidas e medidas rígidas de segurança sanitária. A reabertura acontece em um contexto de preocupação com a possibilidade de uma segunda onda de contágios pela covid-19 atingir a Europa.

A vista privilegiada de Paris, no alto da Torre, a 324 metros de altura, está inacessível. Por enquanto, foi liberado o acesso ao pátio do monumento e até ao segundo andar, pelas escadas.

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Coronavírus: Últimas notícias e o que sabemos até esta quinta-feira (25) - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL

Coronavírus