PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

País registra 716 novos óbitos por covid-19 em 24 h e soma 151.779 mortes

Pacientes com covid-19 em hospital de campanha no Rio de Janeiro (RJ) - RICARDO MORAES
Pacientes com covid-19 em hospital de campanha no Rio de Janeiro (RJ) Imagem: RICARDO MORAES

Do UOL, em São Paulo

14/10/2020 18h44Atualizada em 14/10/2020 20h21

Foram notificadas, no Brasil, 716 novas mortes por covid-19 nas últimas 24 horas. Ao todo, o país apresenta 151.779 óbitos pela doença. As informações foram divulgadas pelo consórcio de veículos do qual o UOL faz parte.

Entre ontem e hoje, o país teve 26.675 novos casos de coronavírus confirmados pelas secretarias estaduais de saúde, totalizando 5.141.498 diagnósticos em todo o território nacional.

A média móvel de mortes continua em queda no Brasil. Foram 496 mortes em média nos últimos 7 dias, com queda de -29% em relação ao mesmo período de 14 dias atrás.

Dezenove estados apresentaram tendência de queda na média móvel de mortes por covid-19. Enquanto o Piauí apresenta alta (55%).

Todas as regiões apresentaram queda: Centro-Oeste (-32%), Nordeste (-33%), Norte (-49%), Sudeste (-19%) e Sul (-40%).

Veja a oscilação nos estados:

  • Aceleração: PI;
  • Estabilidade: AC, AL, DF, MA, PB, RJ e SE;
  • Queda: AP, AM, BA, CE, ES, GO, MG, MS, MT, PA, PE, PR, RN, RO, RR, RS, SC, SP e TO.

Dados do governo

Nas últimas 24 horas, o Ministério da Saúde registrou 749 novas mortes por covid-19, somando 151.747 óbitos pela doença.

Desde ontem, a pasta contabilizou 27.235 novos casos de coronavírus; ao todo, são 5.140.863 diagnósticos.

O governo federal considera 4.568.813 casos recuperados e afirma que há 420.303 pacientes em acompanhamento.

OMS teme novo aumento de mortes por covid-19

Soumya Swaminathan, cientista-chefe da OMS (Organização Mundial da Saúde), afirmou hoje temer que o recente aumento global de novas infecções por covid-19 seja seguido de aumento das mortes.

"O aumento da mortalidade sempre vem algumas semanas depois do aumento dos casos", disse ela. "Ainda estamos perdendo cerca de 5.000 pessoas por dia... então não devemos ser complacentes com a queda das taxas de mortalidade", acrescentou.

Países europeus começaram a fechar escolas e cancelar cirurgias, preocupados com novo aumento de diagnósticos do coronavírus.

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes recentes de autoridades e do próprio presidente colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

* Com informações da Reuters

Coronavírus