PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
10 meses

MPF alerta Pazuello e Helder Barbalho sobre colapso na divisa do AM com PA

Mulher aguarda em fila diante de uma empresa de oxigênio em Manaus. Crise de abastecimento que começou no Amazonas chegou ao Pará - SANDRO PEREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
Mulher aguarda em fila diante de uma empresa de oxigênio em Manaus. Crise de abastecimento que começou no Amazonas chegou ao Pará Imagem: SANDRO PEREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

19/01/2021 20h20

O MPF (Ministério Público Federal), juntamente com o MPT (Ministério Público do Trabalho) e o MP-PA (Ministério Público do Pará), enviou hoje um ofício ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e ao governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), alertando ambos sobre a situação de colapso do sistema de saúde na região do Baixo Amazonas, principalmente na divisa do estado amazonense com o Pará.

O documento recomenda ao Ministério da Saúde e ao governo paraense que tomem providências para evitar a falta de insumos e garantir o atendimento a pacientes com covid-19 na região, que já sofre com o desabastecimento de oxigênio. Desde ontem, pelo menos seis pessoas morreram por asfixia no município de Faro (PA), segundo a prefeitura da cidade.

A crise no Pará vem dias após o Amazonas e principalmente a capital Manaus protagonizarem cenas que chocaram o país, com pacientes morrendo por asfixia por conta do fim do estoque de oxigênio. Além de precisar requisitar com urgência ajuda do governo federal, que sabia previamente do risco da falta do insumo, o Amazonas também já transferiu mais de 100 pacientes a outros estados desde o final de semana.

No ofício elaborado por procuradores do MPF e do MPT, assim como promotores do MP-PA, é requisitada ao Ministério da Saúde a monitoração coordenada com o governo paraense e com os municípios locais dos estoques de insumos, a fim de evitar novos desabastecimentos.

Já na recomendação feita a Barbalho, o documento pede que a gestão paraense monitore a situação e forneça ao governo federal o suporte material e humano necessário para as ações que cabem à União. Entre elas, o ofício cita o custeio para tratamento de pacientes em outros estados caso necessário, assim como já foi feito no Amazonas.

O documento foi enviado hoje à 1ª CCR (Câmara de Coordenação e Revisão) do MPF, na Procuradoria-Geral da República, que tem a competência para passar a recomendação a Pazuello. Já no Pará, o ofício chegará endereçado a Barbalho e também ao secretário de Saúde do estado, Rômulo Rodovalho Gomes.

Coronavírus