PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Às vésperas do Carnaval, SP registra maior média de mortes desde agosto

São Paulo registra maior média no ano e também a maior desde agosto - Nelson Almedia/AFP
São Paulo registra maior média no ano e também a maior desde agosto Imagem: Nelson Almedia/AFP

Allan Brito, Fabio de Mello Castanho e Lucas Borges Teixeira

Do UOL, em São Paulo

12/02/2021 13h31

O estado de São Paulo registrou entre 7 e 12 de fevereiro a semana com maior média móvel de mortes desde agosto do ano passado, de acordo com dados do governo divulgados hoje (12), em coletiva no Palácio dos Bandeirantes. A média no período foi de 238. Até então, a maior marca do ano havia sido de 227, na segunda semana de janeiro e na primeira semana de fevereiro.

Na semana entre 9 e 15 de agosto, a média móvel ficou em 252. É a segunda semana consecutiva que São Paulo alta na média de mortes —vale ressaltar que o número pode mudar, já que o cálculo da semana epidemiológica fecha amanhã (13). Na semana entre 31 de janeiro e 6 de fevereiro, a média foi de 227 —variação de 4% em relação à semana anterior.

De acordo com o consórcio de imprensa do qual o UOL faz parte, o estado registrou ontem (11) uma média móvel de 249 óbitos na última semana. Esta é a maior média desde o dia 18 de agosto, quando teve o mesmo número. Na comparação de 14 dias, isso representa um aumento de 14%, o que ainda indica estabilidade, seguindo os critérios de especialistas consultados pelo consórcio.

Segundo o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, o aumento no número de mortes é "resultado das internações anteriores, pacientes que internaram de forma grave e infelizmente vieram a falecer".

Gráfico divulgado pelo governo de São Paulo indica alta na média móvel de mortes - Reprodução/ Governo de São Paulo - Reprodução/ Governo de São Paulo
Gráfico divulgado pelo governo de São Paulo indica alta na média móvel de mortes
Imagem: Reprodução/ Governo de São Paulo

Os números de casos, mortes e internações por causa da covid-19 aumentaram nas últimas semanas, por causa das festas de fim de ano. Por causa da pandemia, São Paulo e outros estados cancelaram o ponto facultativo do Carnaval, para evitar aglomerações. O governo afirma que vai manter a fiscalização. "Temos que continuar vigilantes e atentos a medidas sanitárias", disse ele.

Agora, apesar de não ser feriado de Carnaval, muitas pessoas estarão viajando. Porém temos que nos cuidar. Não esqueçam de máscaras, evitem se aglomerar, mesmo em ambientes externos. Temos falsa sensação que estar em praia debaixo de guarda-sol, nos deixa seguros. Não é verdade.
Jean Gorinchteyn, secretário estadual da Saúde

O secretário estadual da Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos, afirmou que, até quarta-feira (17), haverá a Operação Paz e Proteção, com 31.629 policiais "em condições de apoiar vigilâncias sanitárias", além de quase 14 mil viaturas e 96 aeronaves.

Casos e internações em queda

Ao mesmo tempo em que registra média móvel alta, São Paulo teve queda na média móvel de casos e na de internações por semana. Entre 7 e 11 de fevereiro, foram 9.415 casos no estado, uma queda de 9% em relação à semana anterior, quando a média foi de 10.295. A maior média de toda pandemia foi registrada neste ano, com 11.301 casos entre 10 e 16 de janeiro.

Já em internações, São Paulo teve média de 1.425 entre 7 e 11 de fevereiro no estado, uma queda de 6% em relação à semana anterior, quando a média foi de 1.513.

Gorinchteyn considera que as "medidas instituídas no Plano São Paulo foram fundamentais no controle da pandemia". "Se não tivéssemos instituído regramento para algumas regiões de forma mais austera, sem dúvida estaríamos com colapso no sistema em todo estado", afirmou.

De acordo com o governo estadual, o índice de ocupação de leitos de UTI para covid-19 no estado está em 66,7% e em 65,6% na Grande São Paulo. "É a quarta semana consecutiva de queda. A gente reforça que internação é dado atualizado da dinâmica da pandemia", disse o secretário. O governo considera a situação mais grave quando a taxa fica acima de 80%.

Nas últimas sextas-feiras, o governo vinha fazendo atualizações do Plano São Paulo, que coordena as medidas restritivas em todo o estado e a flexibilização das atividades econômicas. A expectativa era que houve uma nova reclassificação hoje, mas isso não aconteceu, mesmo às vésperas do Carnaval.

Na semana passada (5), dez das 17 regiões do estado avançaram de fase. Entre as regiões que progrediram devido à melhora nos índices que controlam o plano, como número de novas internações e ocupação de leitos, estava a Grande São Paulo, que inclui a capital, e passou da fase laranja para a amarela.

Saúde