PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Estado de SP deve ter pelo menos 65 milhões de doses de vacina a mais

Colaboração para o UOL

03/03/2021 11h28

O Governo do Estado de São Paulo e a Prefeitura da capital abriram negociações para comprar mais doses de vacina contra covid-19, independentemente do governo federal. Ao todo, é possível que os paulistas tenham 65 milhões de doses a mais do que o resto do Brasil.

O governador João Doria (PSDB), que tem liderado as negociações para compra de CoronaVac, pretende comprar vacinas de três fabricantes diferentes. Serão 20 milhões de doses da vacina da Sputnik, 20 milhões da Pfizer e uma nova encomenda de 20 milhões de doses da CoronaVac.

"Portanto, estamos dispostos, e já separamos recursos, para mais 60 milhões de doses para os brasileiros de São Paulo", afirmou Doria, em reunião com prefeitos do estado.

O Secretário de Saúde da cidade de São Paulo, Edson Aparecido, anunciou nesta semana que está negociando a compra de mais vacinas também. Podem ser doses da Janssen (fabricada pela Johnson & Johnson) ou do imunizante da Pfizer. Hoje ele detalhou que devem ser adquiridas pelo menos 5 milhões de doses.

"Seriam entre 5 e 6 milhões de doses, o que nos permitiria encerrar a vacinação de idosos e pessoas com comorbidades na cidade, que passam de 1 milhão de pessoas, mais os professores e aqueles profissionais que atuam na área de segurança", explicou Edson em entrevista à Globonews, deixando claro que estas doses não seriam distribuídas pelo estado.

Tanto o governo quanto a prefeitura de São Paulo também vão participar de consórcios e parcerias com outras cidades e municípios, o que pode resultar em mais doses de vacina.

A FNP (Frente Nacional de Prefeitos) e o Fórum Nacional de Governadores estão negociando com o laboratório Gamaleya, que desenvolveu a vacina russa Sputnik V, e a União Química, que produzirá esse imunizante no país.

O STF (Supremo Tribunal Federal) e a Câmara dos Deputados tomaram decisões, a partir desta semana, que liberaram estados e municípios para comprarem vacinas, sem depender do governo federal.

Saúde