PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Brasil chega a 4% da população vacinada contra covid-19

Brasil está perto de superar a marca de 8,5 milhões de pessoas vacinadas contra a covid-19 - Facebook/ Reprodução/ Prefeitura de Nova Granada
Brasil está perto de superar a marca de 8,5 milhões de pessoas vacinadas contra a covid-19 Imagem: Facebook/ Reprodução/ Prefeitura de Nova Granada

Colaboração para o UOL, em São Paulo

08/03/2021 20h08Atualizada em 08/03/2021 21h00

O Brasil se aproxima da marca dos 8,5 milhões de vacinados contra a covid-19 nesta segunda-feira (8). Até o momento, ao menos uma dose de vacina foi aplicada em 8.497.929 de brasileiros, correspondente a 4,01% da população do país. Os dados são do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, baseado nas informações fornecidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Nas últimas 24 horas, 277.109 pessoas receberam a primeira dose de imunizante. Já a segunda dose foi aplicada em 130.700 brasileiros de ontem para hoje.

No total, 2.848.847 pessoas receberam as duas doses de vacina, conforme recomendação dos laboratórios que produzem a CoronaVac e a Oxford/AstraZeneca. O número equivale a apenas 1,35% da população brasileira.

O Amazonas continua como o estado que, proporcionalmente, conta com o maior número de vacinados: 307.536 habitantes receberam pelo menos uma dose de imunizante. Isto corresponde a 7,31% da população local. Já o Pará segue como o estado com menor porcentagem de aplicação da primeira dose, com apenas 2,06%.

Mato Grosso do Sul permanece na liderança como o estado que, proporcionalmente, mais aplicou a segunda dose: 2,13% de sua população.

CoronaVac e Oxford são eficazes contra variante de Manaus, dizem laboratórios

Estudos preliminares mostraram que tanto a CoronaVac, vacina contra covid-19 do laboratório chinês Sinovac, quanto a vacina desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca em parceira com a Universidade de Oxford mostraram ser eficazes contra a variante de Manaus do coronavírus.

A pesquisa sobre a CoronaVac foi conduzida pelo Instituto Butantan, responsável pelo estudo clínico da vacina e que está envasando o imunizante no Brasil, disse uma fonte com conhecimento do estudo à agência de notícias Reuters hoje.

Segundo a fonte, o estudo foi feito por meio do exame de amostras de sangue retiradas de pessoas vacinadas com a CoronaVac e testadas contra a variante de Manaus, e os dados preliminares indicam que o imunizante foi eficaz contra a cepa. O estudo ainda será ampliado para a obtenção de dados definitivos.

No caso de Oxford, a eficácia também foi comprovada em estudos preliminares feitos pela universidade inglesa e pelo laboratório AstraZeneca. A informação foi confirmada pelo diretor de Bio-Manguinhos, Maurício Zuma, que dirige a unidade da Fiocruz produtora de imunobiológicos.

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Coronavírus