PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Mulher morre de covid em SP após ter complicações por falta de sedativos

Fachada da UPA Júlio Tupy, em Guaianazes - Reprodução/GoogleStreetView
Fachada da UPA Júlio Tupy, em Guaianazes Imagem: Reprodução/GoogleStreetView

Anahi Martinho

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/03/2021 19h41Atualizada em 23/03/2021 01h08

Uma vítima de coronavírus morreu ontem na UPA Julio Tupy, em Guaianazes, na zona leste de São Paulo, após ter o quadro agravado devido à falta de medicamentos sedativos.

Maria Vanda Avelino de Souza, de 60 anos, deu entrada na unidade no dia 10 de março, após passar por outros três hospitais. Segundo a filha Ariana Souza, a mãe foi entubada no dia 13 e aguardava na fila por um leito de UTI.

"No dia 17, o médico me informou que a unidade estava com falta de betabloqueadores, medicamento que auxilia na estabilidade do paciente que está entubado", relatou a filha ao UOL.

Segundo ela, a falta deste medicamento acarretou em uma queda brusca de pressão, o que agravou o quadro da mãe.

"Minha mãe teve uma descompensação de pressão, dificultando a evolução do tratamento, comprometendo ainda mais seu organismo e seu pulmão", relatou. "A pressão baixa foi devido a ela não estar totalmente sedada, dificultando que o aparelho de oxigênio faça seu trabalho", disse.

No dia 21, após oito dias aguardando uma transferência para UTI, Maria Vanda teve mais uma queda de pressão e uma parada cardiorrespiratória, e não resistiu.

Saga de hospitais

Antes de ser internada na UPA Julio Tupy, a paciente foi a outros três hospitais. Ela estava com sintomas do covid-19 desde o dia 3 de março, quando recorreu à UPA São Miguel (Tito Lopes), também na zona leste da capital.

Segundo a filha, a unidade fez o teste de covid e mandou Maria Vanda de volta para casa. No dia 8 de março, ela retornou à mesma unidade com sintomas agravados e foi novamente mandada para casa.

No dia 10 de março, a família fez nova tentativa e levou Maria Vanda ao AMA Parada 15 de Novembro, em Itaquera.

"Minha mãe já não aguentava mais andar e foi encaminhada para internação na Julio Tupy, onde foi internada e estava entubada desde o dia 13", relatou Ariana.

A filha chegou a recorrer à Defensoria Pública para solicitar um leito de UTI para a mãe. Ela conseguiu um agendamento de triagem para o dia 7 de abril. "Minha mãe era uma mulher guerreira e eu a perdi", disse Ariana.

Prefeitura nega falta de medicamento

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e Coordenadoria Regional de Saúde (CRS) Leste, informou à reportagem que "a UPA Julio Tupy conta com todos os medicamentos necessários para o atendimento aos pacientes com Covid-19."

Ainda segundo a prefeitura, na noite desta segunda-feira, a unidade conta com nove pacientes intubados.

Saúde