PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
15 dias

Covid: Internação em UTIs de SP cai 25% em 2 semanas, diz secretária

Patrícia Ellen comemorou a redução de 25% das internações de leitos de UTI covi no estado - Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
Patrícia Ellen comemorou a redução de 25% das internações de leitos de UTI covi no estado Imagem: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

Colaboração para o UOL

19/04/2021 09h38Atualizada em 19/04/2021 10h37

A secretária estadual de Desenvolvimento Econômico de São Paulo, Patricia Ellen, disse hoje que houve uma redução de 25% no número de internação de pacientes com o novo coronavírus em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) no estado.

A queda aconteceu entre o momento em que São Paulo ainda estava na fase emergencial e entrou para a fase vermelha do plano de contingência da pandemia.

"A semana epidemiológica fechou no sábado e o número completo dessas últimas duas semanas está dando 25% de queda nas internações de UTI. Tivemos nessa última semana uma queda de 8,6%, o que é uma ótima notícia para todos nós", comemorou a secretária, em entrevista à CNN.

De acordo com Ellen, a atual taxa de ocupação dos leitos de UTI de covid-19 da Grande São Paulo é de 81,6%. Ela espera que esse patamar continue com a fase de transição do Plano São Paulo, iniciada ontem.

A desaceleração começou duas semanas depois do início da fase vermelha e, mais duas semanas depois do início da fase emergencial, passamos a ter o crescimento negativo da pandemia, que era o que todos estávamos lutando para conquistar
Patricia Ellen

A secretária também se mostrou preocupada com a circulação da variante brasileira do novo coronavírus no estado, a P.1. Ela conta que o número de internações diárias de pacientes com a doença em São Paulo ainda está em um patamar elevado, com 2,4 mil novas entradas nas unidades de saúde todo dia.

"Exatamente por que o patamar ainda é muito elevado precisamos dessa fase de transição. Quando a gente olha a primeira onda, tínhamos um patamar de internações no pico entre 1,5 mil e 2 mil por dia (...) O pior que poderia acontecer agora é termos um rebote, ou pior ainda, uma nova cepa", destacou.

Abertura de estabelecimentos

A fase de transição do Plano São Paulo tem regras tanto da fase vermelha como da laranja. A flexibilização das medidas restritivas prevê a reabertura do comércio, com ocupação máxima de 25%, e a liberação da realização de missas e cultos religiosos.

A ocupação que temos para os setores é talvez o nosso maior desafio nesse momento. O que estamos fazendo nessa fase de transição é um voto de confiança. Uma grande mudança nessa fase, com relação ao permitido na fase laranja, é a ocupação permitida nos espaços, que tem um limite de 25%
Patrícia Ellen

A secretária contou que teve reuniões com os setores econômicos do estado para definir o horário de funcionamento dos estabelecimentos nessa nova fase. Desde ontem, o comércio pode funcionar das 11h às 19h.

A partir de sábado (24), restaurantes, salões de beleza e atividades culturais também podem funcionar das 11h às 19h. Já as academias têm horários específicos, das 7h às 11h e das 15h às 19h.

"Passamos as últimas semanas em debates intensos com todos os setores. Alguns pediam o funcionamento de 6h, outros de 8h; pediam esse funcionamento tipicamente entre 12h e 20h. A solução que encontramos foi exatamente esse funcionamento de 8h, por mais dias; muitos deles pediam dias úteis ou somente de segunda a sábado. Nós liberamos todos os dias por 8h, mas das 11h às 19h", detalhou Ellen.

Coronavírus