PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
7 meses

Covid: SP tem queda de casos, mortes e internações pela 1ª vez em 2 meses

Beatriz Gomes, Lucas Borges Teixeira e Rafael Bragança

Do UOL, em São Paulo

23/04/2021 13h23

O estado de São Paulo registrou uma queda conjunta nos indicadores de novos casos, óbitos e novas internações pela primeira vez em dois meses. Os números são da Secretaria Estadual da Saúde.

De acordo com o governo paulista, o registro de novos casos diários em relação à última semana epidemiológica caiu 14%, novas internações reduziram em 6% e óbitos, em 23%. O Centro de Contingência do Coronavírus atribui as quedas à diminuição de circulação nas fases restritivas.

"Pela primeira vez nas [últimas] oito semanas epidemiológicas que tivemos —portanto, por dois meses— é a primeira vez que nós temos uma redução concomitante dos três índices: casos, internações e óbitos", disse o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, em coletiva nesta sexta-feira (23).

São Paulo registra queda nos indicadores diários de casos, internações e óbitos pela primeira vez em dois meses - Reprodução/Governo do Estado de São Paulo - Reprodução/Governo do Estado de São Paulo
São Paulo registra queda nos indicadores diários de casos, internações e óbitos pela primeira vez em dois meses
Imagem: Reprodução/Governo do Estado de São Paulo

Segundo o governo paulista, na última semana, foram registrados:

  • 12.784 novos casos por dia no estado, 14,3% a menos do que na semana anterior;
  • 2.267 novas internações diárias, com queda de 6%; e
  • 621 óbitos por covid por dia, 23,6% a menos.

As taxas de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) estão em 81,1% no estado e 79,2% na Grande São Paulo. No início de abril, ambos chegaram a 92%.

'Um alento, uma esperança'

Os indicadores estão em alta no estado desde o começo do ano. Em 6 de março, com sucessivos recordes de internações e óbitos, o governo colocou todo o estado na fase vermelha do Plano São Paulo, de controle da pandemia e retomada econômica.

No dia 15, passou para a fase emergencial, ainda mais restritiva, que vigorou até 11 de abril. Houve, então, mais uma semana na vermelha, até chegar na atual "fase de transição".

"Esses dados nos trazem um alento, nos trazem esperança e reforçam que as medidas tomadas pelo Plano SP, fazendo a fase vermelha, passando para uma fase mais restritiva, fase emergencial, e agora fase de transição", declarou Gorinchteyn.

Para o Centro de Contingência, a melhora nos números indica sucesso das medidas e, por isso, apesar da flexibilização, as pessoas não devem abrir mão do distanciamento social.

Teremos que seguir com o distanciamento, é o que funciona, como vimos, e vai vigorar ainda por um tempo.
Paulo Menezes, epidemiologista e coordenador do Centro de Contingência

Segunda etapa da fase de transição

A partir de amanhã (24), todo o estado entrará na segunda etapa da fase de transição do Plano SP, que deverá vigorar até, pelo menos, o fim da semana que vem. A primeira etapa teve a duração de seis dias, começando no último domingo (18).

Uma nova definição sobre a continuidade da flexibilização das medidas restritivas deve ser anunciada na próxima sexta-feira (30).

Após a liberação da realização de missas e cultos religiosos e a reabertura do comércio, a segunda etapa se concentrará em retomar as atividades do setor de serviços. Restaurantes, salões de beleza e barbearias podem funcionar no mesmo horário que o comércio em geral, das 11h às 19h, mas sempre com limitação de 25% da capacidade dos estabelecimentos.

As academias poderão funcionar das 6h às 19h, com funcionamento máximo de 8 horas por dia. Também estão liberadas as atividades culturais no estado, mas dentro do limite de ocupação de 25% e apenas das 11h às 19h.

Amanhã também voltarão a funcionar os parques estaduais. As unidades localizadas na capital paulista estarão abertas das 6h às 18h, nos dias úteis e fins de semana, segundo a gestão de Doria. A recomendação da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente é que os parques sejam frequentados majoritariamente para atividades físicas.

A fase de transição em vigor em todo o estado foi uma estratégia do governo paulista para unificar a flexibilização das medidas restritivas e a reabertura das atividades econômicas em todo o território paulista. No modelo tradicional do Plano São Paulo, o estado é subdivido em regiões, e cada uma delas pode ficar nas fases vermelha, laranja, amarela e verde, que determinam diferentes graus de restrições.

Segunda etapa da fase de transição começa neste sábado (24) em São Paulo - Reprodução/Governo do Estado de São Paulo - Reprodução/Governo do Estado de São Paulo
Segunda etapa da fase de transição começa neste sábado (24) em São Paulo
Imagem: Reprodução/Governo do Estado de São Paulo

Coronavírus