PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
15 dias

'Médicos que estimularam kit covid devem ser alvos do MP', opina Vecina

Colaboração para o UOL

28/09/2021 09h49

O médico sanitarista e ex-presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Gonzalo Vecina, disse hoje que os médicos que estimularam o uso do chamado "kit covid", que não tem comprovação científica contra a covid-19, devem sofrer algum tipo de condenação por parte dos conselhos regionais e, eventualmente, pelo MP (Ministério Público) numa ação criminosa.

"Isso passa a ser crime na medida em que provavelmente houve danos a pacientes, porque esses medicamentos têm danos colaterais e esses efeitos podem ser mortais", afirmou durante o UOL News, desta terça-feira (28). "Tem que apurar as responsabilidades dos médicos que fizeram outros médicos prescrever e até esses médicos que venderam seus diplomas de certa forma", completa.

Segundo Vecina, a Prevent Senior forçou os médicos a fazer a prescrição, mas médicos não tem total autonomia. "Tem autonomia dentro do espaço do conhecimento. Se existe um conhecimento que delimita um comportamento, esse conhecimento tem que ser respeitado. Médico não pode fazer o que bem entender, ele tem fazer o que o conhecimento médico determina".

Conselho Federal de Medicina

Para Vecina, o Conselho Federal de Medicina está sendo omisso e "emprestou a Bolsonaro um aval às opiniões que o presidente estava omitindo".

"Nesse período todo, em momento algum, as autoridades do Conselho Federal de Medicina vieram a público para falar que existem irregularidades e que estariam apurando essas irregularidades", afirma. "Então, o conselho não é só omisso, ele está junto nessa onda que está varrendo o Brasil de desastre sanitário", completa.

Saúde