PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Covid: 105 milhões de brasileiros completam vacinação, 49,22% da população

Mais de 105 milhões de brasileiros já completaram a vacinação contra a covid-19 - RENATO S. CERQUEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Mais de 105 milhões de brasileiros já completaram a vacinação contra a covid-19 Imagem: RENATO S. CERQUEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/10/2021 20h03

O Brasil alcançou hoje a marca de 105 milhões de habitantes com vacinação completa contra a covid-19. No total, 105.003.387 pessoas tomaram a segunda dose ou a dose única de imunizante contra a doença, o correspondente a 49,22% da população do país. O levantamento é do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, com base nas informações fornecidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Nas últimas 24 horas, 665.731 brasileiros receberam a segunda dose. Também foram vacinadas 240.701 pessoas com a primeira e 284.669 com a de reforço neste mesmo intervalo de tempo. Devido a uma recontagem nos dados de vacinação do Paraná, o total de doses únicas aplicadas neste período ficou negativo no país: -15.155.

Até o momento, 151.739.636 brasileiros foram vacinados com a primeira dose, o equivalente a 71.13% da população nacional. Ao todo, também houve a aplicação de 4.582.944 doses de reforço.

O estado de São Paulo continua na liderança entre aqueles com a maior proporção de habitantes com vacinação completa: 63,54% de sua população. Mato Grosso do Sul (61,75%), Rio Grande do Sul (55,49%), Paraná (52,03%) e Santa Catarina (51,95%) estão na sequência.

Em termos percentuais, os paulistas também estão à frente quanto à porcentagem da população que já tomou a primeira dose: 79,96% dos habitantes locais. A seguir, vêm Santa Catarina (74,27%), Rio Grande do Sul (73,74%), Espírito Santo (72,57%) e Paraíba (72,41%).

Doses primeira 18  - UOL - UOL
Imagem: UOL

Doria anuncia redução de intervalo entre 1ª e 2ª doses da vacina da Pfizer

O governador de São Paulo, João Doria Jr. (PSDB), anunciou hoje, através das redes sociais, a redução de oito semanas para 21 dias o intervalo entre a 1ª e a 2ª dose da vacina da Pfizer contra a covid-19. A recomendação da antecipação é somente para a população adulta, ou seja, com mais de 18 anos. A medida deve beneficiar cerca 2 milhões de pessoas, segundo o governo do estado.

Em setembro, São Paulo já havia reduzido de 12 para oito semanas o intervalo entre uma dose e outra da Pfizer sob a justificativa de acelerar a imunização da população. Um mês antes, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, também defendeu a redução de tempo entre as doses.

Em nota enviada ao UOL, a Pfizer, produtora da vacina ComiRNAty ao lado da Biontech, reforçou que a bula do imunizante registrada na Anvisa já recomenda um intervalo de 21 dias entre doses, mas que os regimes de dosagem ficam a critério das autoridades de saúde e podem incluir recomendações seguindo os princípios locais de saúde pública.

dose completa 18/10 - UOL - UOL
Imagem: UOL

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, g1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Saúde