PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Covid: Com 152 mortes em 24h, Brasil volta a ter média abaixo de 200 óbitos

Brasil já registrou mais de 615 mil mortes causadas pela covid-19, segundo o Ministério da Saúde - Bruno Kelly/Reuters
Brasil já registrou mais de 615 mil mortes causadas pela covid-19, segundo o Ministério da Saúde Imagem: Bruno Kelly/Reuters

Ricardo Espina e Saulo Pereira Guimarães

Colaboração para o UOL, em São Paulo

04/12/2021 19h07Atualizada em 04/12/2021 22h09

O Brasil registrou 152 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas. Ao todo, o país já registrou 615.606 óbitos pela doença. Os dados foram apurados pelo consórcio de veículos de imprensa, do qual o UOL faz parte, junto às secretarias estaduais de Saúde.

Em média, 196 pessoas morreram em função da covid-19. A média móvel é calculada a partir dos registros de óbitos dos últimos sete dias e está abaixo de 300 desde 1º de novembro.

A media diária é comparada com o mesmo índice de 14 dias atrás. Se ficar abaixo de -15%, indica tendência de queda; acima de 15%, aceleração; entre esses dois valores, estabilidade.

A média móvel no país apresenta tendência de estabilidade, com variação negativa de 2%. Entre os estados, 10 têm tendência de queda, 10 de estabilidade e 6 de alta. O Distrito Federal não atualizou seus números de casos e mortes.

Acre, Alagoas, Amapá, Goiás, Rio Grande do Norte e Roraima não registraram mortes por covid-19 neste sábado.

Nas últimas 24 horas, o Brasil registrou 8.148 novos casos de coronavírus no país — em média, foram 8.665 diagnósticos. O número total de testes positivos chegou a 22.135.976.

Veja a situação por estado e no Distrito Federal

Região Sudeste

  • Espírito Santo: estável (2%)
  • Minas Gerais: alta (63%)
  • Rio de Janeiro: estável (9%)
  • São Paulo: estável (-14%)

Região Norte

  • Acre: estável (0%)
  • Amazonas: queda (-11%)
  • Amapá: alta (100%)
  • Pará: estável (8%)
  • Rondônia: estável (6%)
  • Roraima: alta (50%)
  • Tocantins: queda (-40%)

Região Nordeste

  • Alagoas: estável (-14%)
  • Bahia: estável (5%)
  • Ceará: alta (26%)
  • Maranhão: estável (0%)
  • Paraíba: queda (-22%)
  • Pernambuco: queda (-25%)
  • Piauí: queda (-21%)
  • Rio Grande do Norte: queda (-45%)
  • Sergipe: queda (-20%)

Região Centro-Oeste

  • Distrito Federal: queda (-54%) - *O estado não divulgou dados até às 20h de hoje, portanto, a variação se refere à média móvel de ontem
  • Goiás: alta (49%)
  • Mato Grosso: queda (-65%)
  • Mato Grosso do Sul: queda (-42%)

Região Sul

  • Paraná: queda (-18%)
  • Rio Grande do Sul: estável (-8%)
  • Santa Catarina: queda (-23%)

Dados do Ministério da Saúde

Nas últimas 24 horas, o Brasil reportou 170 novas mortes causadas pela covid-19, conforme boletim divulgado hoje pelo Ministério da Saúde. Desde o começo da pandemia, a doença provocou 615.570 óbitos em todo o país.

Pelos números da pasta, houve 8.838 diagnósticos positivos para o novo coronavírus entre ontem e hoje no Brasil elevando o total de infectados para 22.138.247 desde março de 2020.

De acordo com o governo federal, houve 21.359.352 casos recuperados da doença até agora, com outros 163.325 em acompanhamento.

Paes cancela Réveillon no Rio, mas Castro fala em reunião por decisão final

Horas depois de o prefeito Eduardo Paes (PSD-RJ) anunciar o cancelamento do Réveillon no Rio de Janeiro, o governador do estado, Cláudio Castro (PL-RJ), escreveu no Twitter que uma reunião na próxima semana será a responsável por uma "decisão final" sobre as festas de Ano Novo na cidade.

Mais cedo, Paes disse que a decisão foi tomada após manifestação do comitê científico do estado recomendando que a tradicional festa na praia de Copacabana não fosse realizada por causa da preocupação com a variante ômicron. O prefeito disse que queria fazer o evento e tinha o aval do comitê municipal, mas que decidiu seguir a orientação mais restritiva do governo estadual e cancelar a festa.

"Falei há pouco com o prefeito Eduardo Paes e decidimos, juntos, que faremos uma reunião na próxima semana para uma decisão final sobre as festas do Réveillon. Nesse encontro, participarão técnicos da saúde do Estado e do município", escreveu Castro.

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, g1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Saúde