PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
6 meses

Queiroga diz que não há como crianças serem vacinadas contra covid em 2021

O ministro da Saúde Marcelo Queiroga; integrantes do Ministério disseram que aguardavam aprovação para solicitar doses pediátricas à fabricante - Adriano Machado/Reuters
O ministro da Saúde Marcelo Queiroga; integrantes do Ministério disseram que aguardavam aprovação para solicitar doses pediátricas à fabricante Imagem: Adriano Machado/Reuters

Do UOL, em São Paulo

16/12/2021 20h15

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse hoje que não há doses da vacina contra covid-19 para vacinar crianças ainda neste ano, e que é necessário fazer outra avaliação sobre o tema junto da sociedade.

"Quantos dias faltam em 2021? Vocês acham que tem? Quanto tempo a Anvisa demorou para dar um posicionamento acerca dessas doses?", disse Queiroga a jornalistas. "É preciso ser feita uma análise. A avaliação da Anvisa é uma avaliação, a avaliação feita pela câmara técnica do ministério é outra avaliação. O ministério vai discutir amplamente esse assunto com a sociedade".

Mais cedo, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou a vacina da Pfizer para crianças entre 5 e 11 anos. Até então, o imunizante só podia ser aplicado em maiores de 12 anos.

Bolsonaro pede nomes da Anvisa que liberaram vacina para crianças

Durante transmissão ao vivo nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou ter pedido o nome dos integrantes da Anvisa responsáveis pela aprovação da vacina para crianças.

"Eu pedi extraoficialmente o nome das pessoas que aprovaram a vacina para 5 a 11 anos. Nós queremos divulgar o nome dessas pessoas", afirmou. "A responsabilidade é de cada um. Mas agora mexe com as crianças, então quem é responsável por olhar as crianças é você, pai."

A decisão da Anvisa foi anunciada em uma reunião pública da diretoria do órgão. Também foram ouvidos especialistas da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Sociedade Brasileira de Imunologia (SBI) e Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

Ministério ainda não comprou doses pediátricas

A vacina para as crianças corresponde a um terço da aplicada nos adultos. Integrantes do Ministério da Saúde disseram à Folha que só iriam solicitar as doses específicas das crianças depois da aprovação da agência.

A Pfizer afirma em nota que o contrato para fornecimento de 100 milhões de vacinas no ano que vem já inclui a possibilidade de entrega das versões modificadas do imunizante para crianças e confirmou que nenhuma dose pediátrica foi enviada ao Brasil.

A expectativa de gestores do ministério é de que as doses comecem a chegar a partir de janeiro, mas o laboratório não informou em quanto tempo pode enviar estas vacinas após pedido do ministério.

Saúde