PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
4 meses

Covid: 148,1 milhões de brasileiros completam vacinação, 68,9% da população

Mais de 148,1 milhões de brasileiros completaram a vacinação contra a covid-19 - Matheus Sciamana/Photopress/Estadão Conteúdo
Mais de 148,1 milhões de brasileiros completaram a vacinação contra a covid-19 Imagem: Matheus Sciamana/Photopress/Estadão Conteúdo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/01/2022 20h02

O Brasil chegou à marca de 148,1 milhões de habitantes com vacinação completa contra a covid-19, conforme boletim divulgado hoje pelo consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte. Até aqui, 148.164.207 pessoas foram imunizadas com a segunda dose ou a dose única, o que representa 68,97% da população nacional. Os dados foram coletados junto às secretarias estaduais de saúde.

Nas últimas 24 horas, 410.088 brasileiros concluíram o ciclo vacinal, com 388.403 imunizados com a segunda dose e 21.685 com a única. Ainda houve a aplicação de 204.161 primeiras e 755.783 de reforço neste período, totalizando 1.370.032 doses ministradas em todo o país entre ontem e hoje.

Até o momento, 162.622.837 pessoas receberam a primeira dose, o correspondente a 75,7% da população do país. Já o total de doses de reforço aplicadas chegou a 38.376.433.

O estado de São Paulo permanece na liderança entre aqueles com a maior parcela de habitantes com vacinação completa: 78,93% de sua população. Piauí (75,65%), Santa Catarina (74,76%), Minas Gerais (73,07%) e Mato Grosso do Sul (72,25%) aparecem na sequência.

Em termos percentuais, o Piauí continua em primeiro lugar quanto à aplicação da primeira dose: 83,23% de seus habitantes. A seguir, estão São Paulo (81,93%), Santa Catarina (78,45%), Rio Grande do Sul (77,77%) e Minas Gerais (77,47%).

Anvisa libera CoronaVac para crianças e jovens entre 6 e 17 anos

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou hoje a liberação do uso da vacina contra a covid-19 CoronaVac em crianças e jovens de 6 a 17 anos. Por unanimidade, os cinco diretores do órgão votaram favoravelmente à aprovação durante videoconferência para avaliar um pedido para uso emergencial do imunizante feito pelo Instituto Butantan.

Inicialmente, o Butantan pediu autorização para vacinar crianças a partir de 3 anos, mas a Anvisa alegou falta de estudos suficientes que comprovem a eficácia para essa faixa de idade, e decidiu validar a aplicação da vacina da CoronaVac apenas em crianças com idade a partir de 6 anos.

Na prática, a faixa etária que pode ser vacinada no Brasil não muda, mas, com a aprovação da CoronaVac para crianças, haverá oferta maior de vacinas. O Instituto Butantan já tem armazenado 10 milhões de doses prontas.

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, g1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Saúde