OMS diz que há evidência crescente de ligação de zika com microcefalia

Stephanie Nebehay

Em Genebra (Reuters)

A OMS (Organização Mundial da Saúde) disse nesta sexta-feira que há um crescente acúmulo de evidências de ligação entre o vírus da zika e a microcefalia, má-formação cerebral em recém-nascidos, mas que pode levar de 4 a 6 meses para se provar essa relação.

A OMS disse que vai realizar uma reunião entre 7 e 9 de março com pesquisadores sobre o diagnóstico de zika e vacinas "similar à que foi feita nos primeiros dias do Ebola".

A OMS declarou o surto de zika uma emergência internacional de saúde pública em 1º de fevereiro, citando uma "forte suspeita" de ligação entre o vírus, que é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, e a microcefalia no caso de infecções na gravidez.

Mais de 500 casos de microcefalia ou outras alterações do sistema nervoso central foram confirmados no Brasil, dos quais a "maior parte" está ligada à infecção pelo vírus da zika, segundo o Ministério da Saúde. Outros 3.935 casos suspeitos de microcefalia no país estão sendo investigados.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos