PUBLICIDADE
Topo

OMS recomenda realização de exames antes de uso de vacina contra dengue

Estudos indicam que a vacina aumenta o risco de dengue severa quando aplicadas em pessoas que nunca tiveram a doença - Noel Celis/AFP
Estudos indicam que a vacina aumenta o risco de dengue severa quando aplicadas em pessoas que nunca tiveram a doença Imagem: Noel Celis/AFP

Matthias Blamont e Julie Steenhuysen

Em Paris e em Chicago

20/04/2018 16h54

A OMS (Organização Mundial da Saúde) disse nesta quinta-feira (19) que a vacina contra a dengue da Sanofi só deve ser utilizada em pessoas que tenham passados por exames que atestem que já tenham sido expostas à infecção anteriormente.

Após uma reunião de dois dias em Genebra, na Suíça, especialistas da agência da ONU recomendaram medidas adicionais de segurança para a medicação, vendida como Dengvaxia.

"Nós agora temos informações claras de que a vacina precisa ser tratada de maneira mais segura, sendo utilizada exclusivamente em pessoas já infectadas", disse a repórteres Alejandro Cravioto, chefe do Grupo de Especialistas em Aconselhamento Estratégico sobre imunização da OMS.

"É preciso que as pessoas sejam testadas por meio de um sistema que não está atualmente disponível, mas que nós sentimos que será desenvolvido nos próximos anos", disse ele.

Leia também:

Em nota, a Sanofi "Nós estamos confiantes na segurança do Dengvaxia e seu potencial provado para reduzir o fardo da doença da dengue em países endêmicos."

A farmacêutica francesa disse também que "continuaria a trabalhar com a comunidade internacional de saúde pública e países endêmicos para garantir o melhor uso da vacina".

Após análise de dados, a Sanofi advertiu no último mês de novembro que a vacina poderia aumentar o risco de dengue severa em pessoas que nunca haviam sido expostas à doença.

A dengue é uma das doenças infecciosas de crescimento mais rápido do mundo, afetando centenas de milhões de pessoas em todo o planeta. A doença causa meio milhão de infecções potencialmente fatais e mata cerca de 20 mil pessoas, principalmente crianças, todos os anos.

A vacina da Sanofi, vendida sob a marca Dengvaxia, é a primeira licenciada contra a dengue no mundo e está no centro de uma polêmica nas Filipinas, onde o governo suspendeu seu uso no ano passado em meio a generalizada preocupação de segurança.

Uma campanha de vacinação com a Dengvaxia também estava ocorrendo no Paraná.