PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Crise dupla do clima e da covid afeta milhões, diz Cruz Vermelha

Imagem ilustrativa de um teste positivo para coronavírus - Divulgação/Pixabay
Imagem ilustrativa de um teste positivo para coronavírus Imagem: Divulgação/Pixabay

Megan Rowling

Da Reuters, em Barcelona (Espanha)

23/09/2020 20h10

Desastres climáticos e a pandemia de covid-19 atingiram simultaneamente dezenas de milhões de pessoas em todo o mundo neste ano, tornando-as mais vulneráveis às duas ameaças e prejudicando a reação de emergência, alertou a Cruz Vermelha nesta quarta-feira.

Em uma nova análise, a agência humanitária internacional disse que cerca de 70% dos 132 desastres ligados a eventos climáticos extremos em 2020 coincidiram com a pandemia no local e no tempo.

Globalmente, registraram-se mais de 51 milhões de pessoas —provavelmente uma cifra subestimada— como diretamente afetadas por uma sobreposição de inundações, secas ou tempestades e a pandemia, e quase 3.500 morreram nos eventos climáticos, disse a entidade.

"A crise climática não parou para a Covid-19, e milhões de pessoas sofreram com a colisão das duas crises", disse Francesco Rocca, presidente da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC), aos jornalistas.

"Não temos absolutamente nenhuma escolha, a não ser enfrentar ambas as crises simultaneamente", afirmou.

Embora nem todos os desastres climáticos tenham uma ligação direta com o aquecimento global, o clima está se tornando mais volátil e os eventos climáticos mais extremos à medida que o planeta esquenta, acrescentou.

O relatório, produzido com o Centro Climático da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, disse que a pandemia está complicando os esforços para retirar pessoas de locais atingidos, o que inclui a necessidade de mais abrigos para respeitar o distanciamento social e evitar infecções.

Enquanto isso, as agências humanitárias enfrentam a ameaça dupla de reagir a surtos de Covid-19 e desastres climáticos ao mesmo tempo e ainda são abaladas pela redução de agentes na linha de frente e de recursos.

Os transtornos nas cadeias globais de suprimento também desaceleraram o fluxo de ajuda humanitária e equipamentos de recuperação, disse o relatório, e a pandemia aumentou a necessidade de assistência humanitária financeira em um momento de retração global profunda.

Os locais em que as ameaças em colisão se manifestaram mais claramente são Índia e Bangladesh, onde quase 40 milhões de pessoas foram afetadas pela pandemia e por inundações e tempestades causadas pelas monções.

A Covid-19 tornou mais difícil transferir pessoas para locais seguros e proporcionar alimento, acomodação e outras formas de assistência segura e rapidamente, submetendo os afetados a um risco ainda maior, segundo o relatório.

Saúde