PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
2 meses

Rússia diz que fornecerá reforço caso Sputnik V não funcione contra ômicron

Vacina contra a covid-19 Sputnik V é desenvolvida pelo Instituto Gamaley, ligada ao Estado russo - Luís Lima Jr./Fotoarena/Estadão Conteúdo
Vacina contra a covid-19 Sputnik V é desenvolvida pelo Instituto Gamaley, ligada ao Estado russo Imagem: Luís Lima Jr./Fotoarena/Estadão Conteúdo

Dmitry Antonov e Vladimir Soldatkin

Em Moscou (Rússia)

29/11/2021 13h16Atualizada em 29/11/2021 13h41

A Rússia disse hoje que estará pronta para fornecer vacinas de reforço para proteção contra a variante ômicron do novo coronavírus, se necessário.

A Rússia foi rápida em desenvolver uma vacina de duas doses, a Sputnik V, no ano passado e também implementar a vacina Sputnik Light, de uma dose, ambas as quais o país afirma ter demonstrado alta eficácia em testes, embora ainda aguardem aprovação da OMS (Organização Mundial da Saúde).

"O Instituto Gamaleya acredita que a Sputnik V e a Light neutralizarão a ômicron, pois têm maior eficácia em relação a outras mutações", disse Kirill Dmitriev, chefe do RDIF (Fundo Russo de Investimentos Diretos), que comercializa a vacina no exterior, por meio da conta oficial da Sputnik V no Twitter.

"No caso improvável de uma modificação ser necessária, forneceremos várias centenas de milhões de reforços da Sputnik (contra a) ômicron até 20 de fevereiro de 2022", disse Dmitriev.

Anteriormente, o Kremlin disse que mais dados eram necessários antes que fossem tiradas conclusões sobre a nova variante.

Coronavírus