UOL TablóideUOL Tablóide
UOL BUSCA

Miss Universo 2004

01/06/2004 - 00h45

Alarme falso: manifestantes não protestam contra a presença do UOL Tablóide no Equador

Rodrigo Flores
Em Quito,
Pedro Cirne
Em São Paulo

Rodrigo Flores

Manifeztação no centro de Quito

Manifeztação no centro de Quito

De olhos fechados e deitado na cama do hotel, o correspondente do UOL Tablóide refletia sobre as próximas reportagens quando um barulho ganhou as ruas. Uma multidão marchava diante do hotel Hilton Colón, no centro de Quito. Este jornalista, acostumado a fugir de turbas enfurecidas e hordas revoltas, passou da parte de cima para a parte de baixo da cama. De malas prontas, resolveu olhar mais uma vez pela janela.

Era uma manifestação anti-Miss Universo, antiglobalização, anti-Estados Unidos, anti-devastação das florestas. Mas, ao menos desta vez, não era uma marcha anti-UOL Tablóide!

Na manhã desta segunda-feira (31/05), cerca de 500 pessoas interditaram avenidas do centro de Quito durante uma marcha contra a pobreza no Equador. Os manifestantes, em sua maioria índios de origem Quéchua, criticavam a realização do concurso Miss Universo, que acontece em Quito nesta terça-feira (01/06).

"Nosso protesto é contra este governo que não cuida dos pobres nem da natureza, e ainda gasta dinheiro em um concurso de beleza", denunciou Leticia Nuñes, que carregava uma faixa contra os Estados Unidos.

Os manifestantes avançaram pela avenida Pátria em direção à avenida 10 de Agosto, duas das principais vias da cidade, gritando palavras de ordem como "La gente unida jamás será vencida" ou "No queremos ser una colónia norte-americana". Cerca de 30 homens soldados da polícia equatoriana acompanharam o protesto.

Rodrigo Flores

Manifeztação no centro de Quito

Manifeztação no centro de Quito

A marcha era dividida em blocos, que representavam as diferentes partes do país. Em cada segmento havia uma suposta candidata ao concurso de beleza. "Somos as verdadeiras misses equatorianas", afirmou Marlene Santanna, que usava um biquíni de cocos e trazia uma faixa onde se lia "Miss do Direito à Vida".

Estima-se que o governo equatoriano tenha investido cerca de US$ 20 milhões para organizar o concurso de Miss Universo sob a justificativa de promover o turismo no país.

O correspondente do UOL Tablóide acompanhou a marcha por algumas quadras, mas depois resolveu voltar para a cama e pensar nas próximas reportagens. De olho fechado, é claro.

TABLOIDEANAS

15/09/2014

12/09/2014

11/09/2014

08/09/2014

07/09/2014

06/09/2014

05/09/2014

04/09/2014

Mais Tabloideanas