Chefe que pega no pé de subordinado pode ser demitido em SP

Da Redação
Em São Paulo

Os chefes implicantes que se cuidem. Uma lei sancionada pela prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), prevê mandar para a rua os chefes que perseguirem seus subordinados na administração municipal.

O chefe que praticar o chamado "assédio moral" no local de trabalho poderá ser demitido e amargar uma multa de R$ 1.074. Ele també corre o risco de ser suspenso ou obrigado a fazer cursos de aprimoramento profissional.

A lei diz que o assédio moral pode ser pedir tarefas com prazos impossíveis, diminiur as responsabilidades ou roubar idéias dos outros. Quem se recusar a falar com o chefiado, esconder informações, fofocar ou baixar a bola do empregado sem motivo também poderá ser punido.

Uma pesquisa da PUC-SP mostrou que 80% dos empregados perseguidos pela chefia têm dores generalizadas, 45% têm aumento de pressão, e 60% têm palpitações e tremores. 9% deles até tentam se matar.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos