Japonês pega cadeia por manter garota seqüestrada por nove anos

Da Redação
Em São Paulo

A Justiça do Japão condenou um homem a 14 anos de prisão porque ele manteve uma garota de 9 anos presa na casa dele durante quase uma década.

A história chocou os japoneses em 2000, quando foi revelada. O caso escancarou a incompetência da polícia de Niigata, no norte do país.

Os promotores pediram 15 anos de cadeia para Nobuyuki Sato, 39. Ele admitiu ter sido culpado pelo seqüestro da menina, que hoje tem 21 anos.

Na sentença, o juiz disse que Sato tirou da menina sua adolescência, fase mais importante do crescimento de uma pessoa. Isso pode ter conseqüências terríveis para a moça.

Os advogados do indivíduo argumentaram que ele tinha problemas mentais quando cometeu o crime. Logo, não poderia ser considerado responsável pelos seus atos.

O seqüestro aconteceu em novembro de 1990. A garota voltava para casa depois de ter participado de um jogo de beisebol quando foi abordada por Sato. Ele fez a menina entrar no porta-malas de seu carro, ameaçando-a com uma faca, e levou-a à sua casa.

Sato assustou a menina, xingando-a e batendo nela. A criança disse que teve medo de ser morta.

Ele só fornecia à garota uma refeição por dia, para mantê-la fraca e impedi-la de tentar fugir do cativeiro.

A menina só foi achada em janeiro de 2000, por autoridades da área de saúde, que a levaram a um hospital, nove anos e dois meses depois do seqüestro.

A polícia foi fustigada porque ignorou dois pedidos de ajudas do pessoal da saúde, feitos quando a garota foi descoberta. Também sofreu críticas por não ter tido o trabalho de ir investigar o acusado, que já tinha ficha corrida por abuso de meninas e vivia próximo à casa da vítima.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos