Matou a mulher e virou pastor evangélico

Da Redação
Em São Paulo

O músico alemão Alex Bergstedt, acusado de ter matado a mulher em dezembro de 1995, em Hamburgo, na Alemanha, foi preso em Vitória. Alex, 39, estava sendo procurado havia sete anos pela Interpol, a polícia internacional.

Ele foi preso pela PF na capital capixaba, onde se fazia passar por pastor evangélico. Ele embarcou, escoltado, para Brasília, na tarde desta sexta, e será extraditado para a Alemanha, onde será julgado. A decisão foi do STF.

Alex foi preso na igreja evangélica Cristo Redentor, na Ilha do Príncipe, onde dava expediente como pastor. O músico entrou irregularmente no país há 11 meses e foi morar em Belo Horizonte. Lá, casou-se com uma brasileira e se naturalizou, adquirindo cidadania brasileira.

Ele chegou ao Espírito Santo há sete meses e, dizendo que era pastor, foi pregar na igreja Cristo Redentor, na Ilha do Príncipw. Ele residia na própria igreja, segundo testemunhas.

O músico diz que é inocente. Na versão dele, sua mulher teria batido com a cabeça na cama e morrido. Ele afirmou também que não se encontrava em casa quando o suposto acidente teria acontecido.

Apesar da nacionalidade brasileira, o músico, se não houver recursos da decisão do Supremo, deverá ser entregue à Interp,ol que cuidará de sua extradição para a Alemanha.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos