Tribunal aciona companhias por síndrome da classe econômica

Da Redação
Em São Paulo

Um tribunal britânico começou uma ação coletiva contra mais de 30 companhias aéreas do mundo todo, movida por passageiros vítimas da "síndrome da classe econômica", que se caracteriza pela formação de coágulos sanguíneos nas pernas, provocada por vôos longos.

"Estamos felizes que o tribunal tenha posto em funcionamento o mecanismo", disse Des Collins, sócio da firma de advocacia que representa os reclamantes.

Os passageiros argumentam que a combinação do espaço apertado das cabines e dos vôos prolongados eleva o risco de desenvolver a síndrome da classe econômica, ou trombose venosa profunda (TVP).

Já as companhias aéreas se defendem, dizendo que não exista prova definitiva que associe a TVP a viagens de avião. Mas algumas empresas concordaram em ajudar a OMS (Organização Mundial da Saúde) em um estudo sobre a possível ligação.

A morte de uma mulher de 28 anos após um vôo que ia da Austrália ao Reino Unido no ano 2000 aumentou a preocupação com a doença, e mais casos de TVP após vôos foram registrados desde então.

Na audiência de hoje, os advogados de ambos os lados concordaram com um projeto para abrir uma ação coletiva na Suprema Corte do Reino Unido, em Londres.

O tribunal vai tentar agora uma aprovação do projeto pelo chefe de Justiça do país, antes que o processo legal se inicie, ainda este ano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos