Backstreet Boy vai prestar trabalho comunitário para evitar prisão

Da Redação
Em São Paulo

O "backstreet boy" Nick Carter concordou em entrar em um "programa de intervenção pré-julgamento" em um acordo com a promotoria para escapar de uma acusação de contravenção penal e da cadeia, segundo o jornal St. Petersburg Times.

Carter, 22, foi acusado de resistência a autoridades policiais sem violência, depois que se recusou a obedecer as ordens de um policial para sair de uma casa noturna de Tampa em 2 de janeiro.

O cantor pop estava discutindo com uma mulher na hora em que a boate estava fechando, de acordo com a polícia. Os policiais pediram umas dez vezes que Carter partisse, mas ele se recusou.

Carter foi então algemado e colocado no banco traseiro de um camburão. Ele não foi levado à cadeia.

"Eu acredito que o fato de eu ser uma celebridade motivou o policial a me prender", disse Carter, que cresceu na região de Tampa, em nota divulgada logo depois de sua prisão.

Como parte do programa de intervenção, o cantor vai passar por um período de liberdade condicional, realizar serviços comunitários e pagar uma multa de soma não revelada. Se Carter completar o programa, as acusações serão retiradas, disse a promotora Pam Bondi ao jornal.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos