Justiça manda canadense ficar longe de Spielberg

Da Redação
Em São Paulo

Um canadense que no mês passado tentou invadir o escritório do diretor de cinema Steven Spielberg, aparentemente "desesperado" para se tornar ator, não poderá se proximar do criador de "E." pelos próximos três anos, segundo uma ordem judicial.

O juiz de Alan Haber, de Los Angeles (Califórnia, EUA), decretou em 16 de janeiro passado que o canadense Christopher Richard Hahn, 30, terá de manter uma distância mínima de 137 metros do cineasta, de sua família, de sua residência e de seu local de trabalho até janeiro de 2005.

No dia 11 de janeiro, Hahn foi detido ao tentar invadir a sala de Spielberg dentro de sua produtora Dreamworks, localizada nos estúdios da Universal, para pedir "desesperadamente" ao diretor uma oportunidade como ator em um de seus filmes, segundo declarou um segurança que prendeu o homem.

"Estou preocupado com a minha segurança e a das pessoas que estão à minha volta", afirmou o realizador de "A lista de Schindler" ao solicitar a proteção judicial contra Hahn, que já havia tentado entrar em contato com o cineasta americano em dezembro passado, além de ter participado de um teste para atuar na próxima produção de Spielberg, "Catch me if you can".

Esta não é a primeira vez que o diretor recorre à justiça norte-americana. Em 1998 um tribunal condenou Jonathan Norman de se aproximar do cineasta com o objetivo de assediá-lo sexualmente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos