Malásia proíbe 'Monólogos da Vagina'

Da Redação
Em São Paulo

Autoridades de Kuala Lumpur, capital da Malásia, proibiram a exibição da segunda temporada da peça "Os Monólogos da Vagina" no país. A produtora Marion D'Cruz disse que a prefeitura da cidade se recusou a autorizar a realização de novas encenações da peça devido ao fato de que rolaram "muitas reclamações".

A obra, escrita por Eve Ensler, e encenada pela primeira vez em Nova York, nos EUA, teve uma curta temporada, com apenas três apresentações na Malásia em janeiro, quando três atrizes locais a encenaram para casas lotadas. "Estávamos com todos os ingressos vendidos mesmo antes das primeiras apresentações", contou D'Cruz.

A peça fala sobre a sexualidade e o corpo feminino, sob o ponto de vista de mulheres de diversas culturas, abordando temas como estupro, visitas ao ginecologista e o tratamento dispensado às mulheres muçulmanas.

D'Cruz não concorda que o assunto da peça seja picante demais para a Malásia, um país considerado conservador, cuja população, composta de várias etnias, tem maioria muçulmana.

"A peça é uma importante obra teatral, que trata de algumas questões sérias de opressão e de coisas que são um pouco mais divertidas. Não escolhemos fazer coisas polêmicas pelo fato de elas serem polêmicas. Sempre fizemos o que achamos ser importante."

No Brasil a peça estreou no ano passado, sob a direção de Miguel Falabela, com Zezé Polessa e Claudia Rodrigues no elenco.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos