Dono de crematório acusado de esconder corpos tenta liberdade

Da Redação
Em São Paulo

Cercado por policiais e usando um colete à prova de balas, o homem acusado de ter escondido corpos que seriam cremados mas não foram sentou-se impassível diante do tribunal na sexta-feira, enquanto seus advogados pediam sua libertação sob pagamento de fiança.

Ray Brent Marsh, 28, que, segundo a polícia, recebeu ameaças de morte, sofre 16 acusações por cobrar dinheiro por cremações que jamais foram realizadas no Crematório de Noble, na Geórgia, a 160 quilômetros ao noroeste de Atlanta.

A polícia encontrou 289 pontos de restos humanos escondidos entre árvores e enterrados no terreno do crematório, que Marsh administra desde que herdou de seu pai, em 1996.

Marsh não falou nada durante a sessão. Um procurador disse que ele não poderia ser libertado mediante fiança por representar uma ameaça a outros e por ser um fugitivo potencial.

"Este homem livre na comunidade representaria uma ameaça considerável para ele e também para outras pessoas", disse o promotor Buzz Franklin.

O juiz Jerry Day disse que tomará uma decisão em relação à fiança nos próximos dias.

Se condenado, Marsh pode pegar de um a 15 anos por cada acusação.

As buscas por corpos no crematório Tri-State continuam. A polícia suspeita que Marsh recebeu corpos de outros estados, como Alabama, e Tennessee. No lugar das cinzas, Marsh teria devolvido madeira, cimento e outras substâncias às famílias.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos