Colômbia tem mais de 4 milhões de eleitores no cemitério

Da Redação
Em São Paulo

Entre 4 milhões e 6 milhões de colombianos que morreram nos últimos 13 anos continuam habilitados a votar na eleição legislativa do próximo domingo, porque não foi dada baixa nos seus documentos, segundo o Tribunal Eleitoral da Colômbia.

De acordo com Luis Bernardo Maldonado, diretor nacional de identificação do tribunal, a demora no envio da certidão de óbito faz com que exista um atraso de até 13 anos nos registros eleitorais.

A coordenadoria geral colombiana afirma que há 4 milhões de títulos eleitorais de pessoas mortas que podem ser utilizados para fraudes no domingo, enquanto o sindicato do tribunal afirma que o número pode chegar a 6 milhões.

Para Daniel Bohórquez, presidente do sindicato do órgão eleitoral, não existe na classe política nenhum interesse em atualizar os registros.

Nas eleições anteriores, houve várias denúncias de dirigentes políticos corruptos que utilizaram títulos de cidadãos que já morreram para aumentar seu número de votos.

A Colômbia vai realizar uma eleição no próximo domingo para escolher o novo Congresso. No dia 26 de maio, vai eleger um novo presidente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos