Ex-técnico da Croácia diz a torcedores que não é gay

Da Redação
Em São Paulo

O técnico croata Miroslav Blazevic (foto), que já dirigiu a seleção do país e atualmente comanda o time do Osijek, se defendeu dos torcedores do país que o chamam de "Ciro gay", ao afirmar que no futebol não há lugar para homossexuais.





Blazevic respondeu dessa maneira a uma jornalista do Globus de Zagreb, que lhe perguntou se o futebol é um ambiente propício para o desenvolvimento da homossexualidade.

"Desde 1978 eu falo que um jogador não pode ser gay. A garotada é muito cruel e quando percebe que há alguém 'afeminado' no vestiário, arranca-lhe o sabonete e envia o dedo no traseiro. Assim ele percebe que não está no local certo", afirmou o polêmico treinador.

Sobre o apelido de Ciro Maricón, Blazevic disse que só o faz rir.

"Quando me chamam de bicha eu rio porque sei que não sou. Nunca tive este impulso, sou treinador há 35 anos e sei que no futebol não há espaço para gays."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos