Justiça dos EUA recusa apelo e executa assassino britânico

Da Redação
Em São Paulo

Tracy Housel, 43, britânico condenado pelo assassinado de uma mulher em 1985, foi executado na terça-feira no Estado norte-americano da Georgia, depois que a Justiça rejeitou um apelo de última hora para salvar sua vida.

Housel recebeu uma injeção letal na prisão de Jackson, a 80 quilômetros ao sul de Atlanta, disse Scott Stallings, porta-voz do departamento penitenciário.

Stallings disse que Housel foi declarado morto às 21h28 (horário de Brasília), 11 minutos depois do início da execução.

Housel foi sentenciado pela morte de Jean Drew, estrangulada em uma parada de caminhões.

Autoridades acreditam que Housel seja responsável por pelo menos outra morte, e possivelmente outras. Ele desculpou-se antes da execução.

"Ele disse que sentia pela dor que causou às vítimas e suas famílias", disse Stallings.

Sua última refeição foi composta por bife, batata cozida, milho, sorvete e milk shake de chocolate.

A execução levantou críticas internacionais, principalmente na Grã-Bretanha. O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, e representantes de cinco países europeus apelaram em vão pela vida de Housel.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos