Padres e policial são acusados de pornografia infantil online nos EUA

Da Redação
Em São Paulo

Padres católicos, um policial, uma enfermeira, uma ajudante de professora e um motorista de ônibus escolar estão entre os acusados em uma investigação que durou 14 meses, conhecida como "Operação Candyman", que procura pornografia na Internet, informou o FBI (polícia federal dos EUA) nesta segunda-feira.

Autoridades do FBI disseram que cerca de 90 pessoas em mais de 20 Estados dos EUA foram acusadas em uma investigação secreta de três grupos de mensagens eletrônicas mantidas pelo Yahoo!Inc., que envolvem envio, troca e transmissão de pornografia infantil via e-mail e por transferência de arquivos.

Uma autoridade disse que cerca de 40 pessoas estão sob custódia, enquanto espera-se que outras 50 sejam presas até o final da semana como parte da primeira fase da operação sobre "um anel internacional de pedófilos que passam seu tempo trocando e propagando imagens pornográficas de crianças na Internet".

Dos três ou quatro religiosos acusados, dois são padres católicos, incluindo um de Baltimore, disseram as autoridades. A Igreja Católica foi recentemente atingida por um grande número de escândalos no qual padres molestaram sexualmente garotos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos