Homem que matou 8 na França se suicida


Da Redação
Em São Paulo

Richard Durn, 33, assassinou na quarta-feira oito conselheiros e deixou vinte feridos no município de Nanterre. Nesta quinta, ele se matou jogando-se pela janela do quarto andar da Brigada Criminal de Paris, onde estava sendo interrogado depois de ter confessado a premeditação do crime.

Ele passou a noite na central da polícia em Paris, e estava sentado num escritório do quarto andar onde era interrogado por dois policiais quando se suicidou, segundo os primeiros elementos da investigação.

O homem se levantou subitamente e se jogou pela janela. Durn tinha admitido ter "matado a sangue frio e deliberadamente" os membros do conselho municipal de Nanterre na noite de quarta-feira e de "ter preparado e premeditado" a maneira como ia atuar, acrescentou a mesma fonte.

O homem que matou oito vereadores durante uma reunião do conselho municipal, feriu gravemente 14, utilizando pistolas. A prisão preventiva de Durn, que começou na quarta-feira de manhã, tinha sido prolongada na quinta-feira e ele devia ser colocado à disposição da Justiça no mesmo dia.

Na quarta-feira, quando o prendeu em sua casa em Nanterre, a polícial tinha encontrado uma carta de umas dez páginas onde explicava que tinha fracassado na vida, que queria terminar com ela, matar e ser morto, segundo avaliação da fonte policial.

Durn, que era membro de um clube de tiro, tinha porte de arma vencido em 2000, de acordo com a mesma fonte. No momento da matança, o homem levava pistolas automáticas Glock, de 9 mm e fabricadas em material praticamente impossível de ser percebido pelo detector de metais e um revólter Smith & Wesson calibre 357 Magnum que não chegou a usar.

Durante sua prisão preventiva, Durn se mostrado calado primeiro e declarado "se sentir mal em sua pele".

"Tinha que matar alguém por isso, pois tinha vontade de morrer, de terminar com a própria vida", tinha dito isso no final da sua carta, segundo fontes próximas da investigação. Ontem mesmo, o procurador de Nanterre, Yves Bot, tinha avaliado que se gesto era "premeditado", descartando uma "súbita explosão".

A prefeita de Nanterre, Jacqueline Fraysse-Caysalis, sobrevivente da matança, acredita que o homem tinha a intenção de matar a todos os membros do conselho, afirmando que os dois vereadores que foram mortos teriam sido escolhidos pelo assassino.

Leia também

  • Homem mata 8 a tiros em Paris
  • Parentes identificam vítimas
  • Assassino tenta se explicar
  • Autor de chacina escreveu 'carta de suicida'


  • Receba notícias do UOL. É grátis!

    Facebook Messenger

    As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

    Começar agora

    Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

    UOL Cursos Online

    Todos os cursos