Pedofilia faz bispo renunciar na Irlanda

Da Redação
Em São Paulo

Um dos mais influentes bispos católicos da Irlanda anunciou nesta segunda-feira a decisão de deixar o cargo, por causa das críticas que recebeu ao lidar com um caso de pedofilia envolvendo um pároco.

Brendan Comiskey, bispo de Ferns (sul da Irlanda), disse numa entrevista coletiva que fez "o melhor possível", mas claramente não foi "bom o suficiente" para esclarecer as acusações contra o padre Sean Fortune, que era subordinado à sua diocese. A atuação de Comiskey foi criticada em um documentário exibido no mês passado.

"O abuso sexual contra crianças é profundamente abominável para mim", disse o bispo. "Peço perdão às famílias das vítimas e a todos os outros que foram ofendidos." A renúncia foi apresentada por carta na quinta-feira ao papa João Paulo 2o. e deve ser formalizada nesta semana, quando Comiskey viaja ao Vaticano.

O documentário exibido pela BBC continha entrevistas com quatro homens que disseram ter sofrido abusos sexuais de Fortune quando eram adolescentes. O padre se suicidou em 1999, já sob várias acusações criminais.

O programa dizia que o bispo tinha conhecimento das denúncias contra o seu subordinado desde a década de 1980, mas só em 1995, depois de queixas das vítimas à polícia, Fortune começou a ser investigado.

Nos últimos anos, os padres irlandeses vêm sofrendo sucessivas denúncias de abusos sexuais contra menores. Em janeiro, a Igreja aceitou pagar 112 milhões de dólares a vítimas. O problema acontece também nos Estados Unidos, onde a cúpula da Igreja é acusada de encobrir dezenas de casos de pedofilia.

Leia também:

  • Bispo acusado de assédio também cai

  • Receba notícias do UOL. É grátis!

    Facebook Messenger

    As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

    Começar agora

    Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

    UOL Cursos Online

    Todos os cursos