Atriz beija diretor na testa e ambos vão presos por distúrbio da moral pública

Da Redação
Em São Paulo

Era uma festival de cinema. Um jovem recebe o prêmio de melhor diretor das mãos de uma velha amiga. Emocionada, ela dá um beijo em sua testa e aperta a sua mão. Resultado: a Justiça ordenou a prisão dos dois por distúrbio da moral pública.

A história é real (putz!) e aconteceu no Irã, onde o contato entre homens e mulheres é extremamente restrito. Desde a revolução do Aiatolá Khomeini em 1979, o contato físico entre homens e mulheres, mesmo um aperto de mão, é proibido.

Assim, quando a respeitada atriz Gohar Kheirandish beijou a testa de Ali Zamani, houve um constrangedor silêncio na platéia.

O par pediu desculpas por seu ato e insistiu que foi um gesto espontâneo que não pretendia causar ofensa.

Zamani compareceu ao tribunal na quarta-feira e foi libertado sob fiança de 2.500 dólares. Kheirandish deverá voltar à Yazd (cidade palco do "crime") para enfrentar as acusações.

Até o ministro da Cultura local também foi preso como "cúmplice" e libertado sob fiança.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos