Como fazer a "Playboy" vender mais? Com menos sexo, diz o fundador

Da Redação
Em São Paulo

A revista "Playboy" não é mais a mesma. As vendas caíram, e as cabeças por trás da publicação resolveram que está na hora de mudar. Como? Com menos sexo, segundo Hugh Hefner, o próprio fundador da revista.

"Quero que a gente recue um pouco", disse Hefner em uma entrevista à "New York Observer". "Quero que recuemos da natureza explícita da sexualidade, para tentar restabelecer a identificação com o leitor e com os anunciantes que estavam conosco há algumas décadas."

A Playboy vende menos da metade dos 7 milhões de exemplares mensais que conseguia fazer circular nos anos 70. Sua parcela de mercado está sob constante ataque de várias outras publicações, principalmente britânicas, que oferecem um coquetel de seminudismo e celebridades.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos