Ex-freira processa freiras por abuso sexual

Da Redação
Em São Paulo

Uma educadora norte-americana está processando duas escolas católicas para garotas em Kentucky, afirmando ter sofrido abuso sexual por parte de três freiras naquelas instituições nos anos 50.

Emily Feistritzer, de 61 anos e ex-freira, moveu a ação na quinta-feira, na corte do condado de Boyle, acusando as freiras de terem cometido abuso sexual enquanto ela era estudante na Villa Madonna Academy e no monastério St. Walburg das Irmãs Beneditinas.

Feistritzer preside o Centro Nacional para Educação e Informação, uma organização de pesquisa fundada por ela em Washington. Seu advogado, Robert Treadway, disse que ela não recorreu antes à Justiça porque precisou de anos de psicoterapia para recuperar a lembrança dos abusos, que começaram durante o início da adolescência e continuaram por seis anos, de acordo com ela.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos