Viagra foi o medicamento mais vendido na Venezuela durante a greve geral

Da Redação
Em São Paulo

A greve geral na Venezuela não foi tão geral assim. Pelo menos dentro de casa, os venezuelanos "trabalharam" muito.

Os homens da terra de Chávez consumiram intensamente o Viagra durante os 63 dias da greve geral convocada pela oposição. A revelação foi feita hoje pelo jornal Tal Cual, citando dados da auditoria nacional de vendas de produtos farmacêuticos, com um comentário irônico: 'Os homens com problemas de ereção preencheram muito bem o tempo de ócio'.

A greve começou no dia 2 de dezembro do ano passado, terminando no dia 2 de fevereiro. Segundo o jornal, as vendas do Viagra superaram as do analgésico Atamel, um dos medicamentos de maior uso no país.

Durante a paralisação foram consumidos mais de 6 milhões de comprimidos de Viagra, o que converte a Venezuela no terceiro país onde mais se vende o remédio.


As informações são da Agência JB

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos