Alunos do Reino Unido vão ter aula de sexo oral

Da Redação
Em São Paulo

"Faça sexo oral, não vaginal". É esta a mensagem que os alunos das escolas do Reino Unido passarão a receber, numa medida polêmica para tentar diminuir os casos de gravidez entre adolescentes.

Professores de educação sexual estão sendo treinados para discutir vários "pontos de parada" no caminho até o sexo, disse o governo na sexta-feira. A idéia é incentivar os alunos a descobrirem "níveis de intimidade", como o sexo oral, que não levem aos finalmente.

A proposta foi considerada impraticável por grupos de pais de alunos, que acham que o sexo oral acaba levando à penetração. "Se já é difícil para os adultos parar, é ainda mais difícil para os adolescentes, com seus hormônios em explosão", disse o experiente Robert Whelan, diretor do Fundo de Educação Familiar.

"Os cursos são para capacitar os professores a discutirem várias questões sexuais e de relacionamento com os alunos. Uma dessas questões é o sexo oral", disse uma funcionária do Departamento de Saúde.

A cada ano, cerca de 39 mil britânicas com menos de 18 anos engravidam, o índice mais alto de toda a Europa ocidental. O governo tem como meta reduzir esse número à metade até 2010. Para isso, os alunos já recebem preservativos, pílulas anticoncepcionais e acesso a orientação especializada.

As informações são da Reuters

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos